Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/01/2004 07:56

Comissão da Câmara vai investigar negócios da Parmalat

Ellis Regina/ABr

Uma comissão especial da Câmara dos Deputados vai investigar os negócios da Parmalat no Brasil, diante da crise da multinacional italiana, desencadeada recentemente com o anúncio de uma dívida de 10 bilhões de euros, o equivalente a R$ 35 bilhões. Na terça-feira (27), os 21 parlamentares que integram a comissão vão se reunir para definir um cronograma de trabalho e votar os primeiros requerimentos de audiências públicas com os envolvidos no escândalo financeiro.

Eleito presidente da comissão, o deputado Waldemir Moka (PMDB-MS) nomeou Assis Miguel (PT-PR) para a relatoria. Waldemir Moka disse que a comissão precisa ter acesso aos documentos e às pessoas responsáveis pela Parmalat no Brasil. "Se tem recursos públicos envolvidos, quem preside essas instituições também deve ser ouvido", argumentou.

O parlamentar esclareceu que o primeiro passo de comissão deve ser avaliar a situação dos pequenos produtores rurais que estão endividados por causa da crise na Parmalat. De acordo com o relator Assis Miguel, um milhão e meio de pessoas dependem diretamente da produção leiteira no Brasil. “É preciso identificar onde estão os fatores que levaram a Parmalat a criar tamanho prejuízo”, observou o deputado.

Segundo Francisco Turra (PT-RS), um dos integrantes da Comissão de Agricultura da Câmara, que idealizou a comissão especial, a empresa italiana é responsável pela compra de 1 bilhão de litros de leite por ano no Brasil. "Neste primeiro momento, a função da comissão é acompanhar o desfecho da crise. Se forem encontradas irregularidades, ela poderá sugerir a criação de uma CPI", informou o parlamentar, lembrando que os congressistas deverão convocar os diretores da Parmalat no Brasil para participar de audiências na Câmara.

Francisco Turra disse que é preciso criar condições para resolver o problema dos pequenos produtores rurais que dependem da produção de leite. Isso pode ser feito com o apoio de cooperativas e recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, afirmou.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)