Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/04/2007 14:47

Começa sessão do STF que vai julgar pensão a Zeca do PT

Marta Ferreira - Campo Grande News

Começou há pouco a sessão do STF (Supremo Tribunal Federal) em que vai ser julgada a lei que, no fim do ano passado, recriou em Mato Grosso do Sul a pensão vitalícia para ex-governadores, que havia sido extinta em 1988. O benefício foi recriado no fim do governo de Zeca do PT, que seria diretamente beneficiado.

O caso é o terceiro na ordem de julgamento, segundo a pauta já divulgada pelo STF, que contém 16 processos. Outros podem ser inseridos, por determinação da presidenet, Ellen Gracie, como é o caso de recursos.
O rito de votação prevê a leitura do relatório do processo, pela ministra Carmem Lúcia Rocha e em seguida pode haver sustentação oral das partes, n caso o Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), autora da ação, e a Assembléia Legislativa, ré no processo.

Pela OAB, a defesa do argumento contrário à lei deve ser feita pelo conselheiro federal Marcelo Rocha Mello, que subscreve o processo. A Assembléia não deve usar o expediente da sustentação oral, segundo informou ontem o assessor jurídico da Casa, Cleomenes Sousa. O presidente da OAB em Mato Grosso do Sul, Fábio Trad, acompanha o julgamento.
Depois da sustentação oral, os ministros darão o voto sobre o processo, ou seja, dirão se a pensão aos ex-governadores é ou não legal.

O processo em que a OAB questiona a lei da pensão teve tramite acelerado pelo STF. A ministra relatora não chegou a julgar o pedido de liminar, decisão provisória e o caso foi encaminhado direto para a votação do mérito.

Pareceres contrários - A AGU (Advocacia Geral da União) e a PGR (Procuradoria Geral da República) já se manifestaram favoravelmente ao pedido da OAB para que a lei seja considerada inconstitucional.
Os argumentos foram parecidos. Um deles é que já houve apreciação semelhante, referente à criação de benefício aos ex-governadores no Estado do Pará, na Constituição daquele Estado, já considerado ilegal. Outro ponto citado é a não existência, na Constituição Federal, de previsão sobre benefícios a ex-governadores. Para defensores da ação, isso seria uma brecha para que a pensão fosse criada. Para os críticos, porém, o silêncio da lei maior do País não dá o direito aos estados de agirem com autonomia irrestrita.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)