Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/02/2016 06:40

Com simuladores, custo para tirar CNH sobe até R$ 300 na Capital

Campo Grande News

Tirar uma CNH categoria B em Campo Grande está até R$ 300 mais caro desde o começo deste ano. Isto porque empresas estão repassando aos alunos o custo das aulas nos simuladores, que agora são obrigatórias no processo para obtenção do documento.

Na tentativa de conter eventuais altas nos preços por conta dos simuladores, foi organizado um acordo de comodato entre o sindicato do setor e as empresas. No total, para Mato Grosso do Sul foram alugados 74 equipamentos, que atendem um total de 220 auto escolas – 10 aparelhos estão na Capital, onde há 46 empresas, e outros 30 encomendados para atender a demanda.

Segundo o SINDCFC/MS (Sindicato dos Centros de Formação de Condutores de Mato Grosso do Sul), cada empresa paga R$ 58 por hora de aula no simulador. Pelas novas regras, cada aluno tem de fazer ao menos cinco aulas no aparelho, ou seja, um custo de pelo menos R$ 290.

Em contato com auto escolas, se passando por clientes, a reportagem verificou que algumas delas repassam o custo integralmente. Em outras, o valor está embutido no preço final para tirar a CNH categoria B.

Segundo o presidente do SINDCFC/MS, Wagner Prado, as auto escolas são livres para definirem seus preços, desde que esteja dentro das regras do setor. "O sindicato não tem como tabelar um valor para os CFCs. O mínimo de aulas para começar as parte prática é 25. O que não pode acontecer é cobrarem um mínimo de 20 aulas, por exemplo", explica.

"Os alunos são encaminhados até o sindicato para que façam as aulas nos simuladores. Essa ação foi feita com o intuito de oferecer uma oportunidade aos centros de formação de condutores do Estado se adequarem às regras exigidas pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) sem que houvesse aumento no preço das habilitações", detalha o dirigente do sindicato. Se a opção for comprar, cada simulador sai em torno de R$ 40 mil para as empresas, custo que foi um dos entraves para a implantação da exigência em todo o Brasil.

A estudante de zootecnia Barbara Brixner, 18 anos, já identificou a diferença de R$ 300 no valor total da CNH. "Tive que desembolsar R$ 1.800 incluindo as aulas com o simulador. E se não houver reprovação, ficará mais caro. Ainda estou fazendo a parte teórica e, em abril, acredito que já estarei fazendo as aulas práticas no simulador", detalha.

O uso de simuladores de direção para quem deseja obter a CNH categoria B, se tornou obrigatório no fim de 2015, passando a vigorar, efetivamente, em 2016. De acordo com a resolução nº 543/2015 do Contran, os alunos que iniciaram o processo para a obtenção da primeira habilitação este ano precisam fazer 5 aulas práticas nos simuladores, do total de 25 que são obrigatórias na formação.

Simuladores - Para a diretora de Ensino do SINDCFC/MS, Daliane Genova, o uso dos simuladores possibilita aos alunos vivenciarem situações que nas aulas práticas não são possíveis. No fim de cada aula, é gerado um relatório e enviado ao Detran.

"As aulas são realizadas com graus de dificuldade e por etapas. Temos por exemplo as aulas de alcoolemia, onde é programada uma aula virtual como se o motorista tivesse ingerido bebida alcoólica. Assim ele pode aprender quais os riscos de se dirigir embriagado", explica.

Para o técnico em informática Davi Romeu, 21, que está adicionando a categoria B à CNH, foi benéfico ter as aulas nos simuladores. "Eu já tinha uma noção de direção, mas eu gostei muito pois as aulas são bem claras e precisas. Temos uma noção real do que acontece em diversos ambientes" comenta.

Os simuladores em funcionamento na capital trabalham no sistema de agendamento online dos seus alunos nos três períodos: manhã, tarde e noite. As máquinas estão na sede do sindicato na rua 26 de agosto, e todos os instrutores que vão monitorar os alunos nas máquinas já foram treinados, segundo a entidade.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)