Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Maio de 2019

Últimas Notícias

27/02/2019 16:03

Com 7,3 mil professores fora das salas de aula, prefeitura vai revisar licenças

Anahi Zurutuza e Danielle Valentim, Campo Grande News

Com cerca de 60 mil atestados que justificaram faltas de 7,3 mil professores fora das salas de aula – mesmo que por pouco tempo –, a Prefeitura de Campo Grande vai revisar esses afastamentos, de quem já voltou e dos profissionais ainda afastados. Este foi um dos temas abordados durante audiência pública na Câmara, onde a administração municipal prestou contas do 3º quadrimestre de 2018.

O secretário de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, explicou que ainda não há prazo para que o processo de revisão das licenças comece. “Ainda não há previsão para início. Primeiro que é um número muito grande e temos de tomar bastante cuidado para não cometer nenhum tipo de injustiça, mas é um problema de recursos humanos que temos”, explicou.


O assunto entrou na pauta porque segundo o secretário, o excesso de faltas e licenças dos servidores onera a folha de pagamento e têm impacto negativo para o orçamento, uma vez que as faltas são remuneradas e a prefeitura tem de chamar substitutos.


O secretário explicou que com os gastos para cobrir as faltas dos 60 mil atestados médicos apresentados à Semed (Secretaria Municipal de Educação) no ano passado, seria possível contratar 7,3 mil professores com carga de 20 horas por semana.


Pedrossian fez questão de detalhar que a folha dos professores convocados, por exemplo, chega a quase R$ 7 milhões.


“O prefeito preocupado com isso pediu para que a equipe desse alguma resposta. No ano passado publicamos um novo decreto para reestruturar a perícia médica. A reestruturação ainda está sendo implantada”, detalhou o secretário.


O chefe da pasta de Finanças disse entender que a depressão, por exemplo, é o mal do século e que é uma das doenças que mais atinge profissionais da área da Educação, mas diz que o número de afastados no serviço público “é muito maior que o da iniciativa privada”.


“Uma coisa é que servidor pode estar doente, outra coisa é que os critérios para a concessão da licença estejam defasados e além dos critérios, pode ser que a perícia tenha que melhorar. Então, é uma coisa que deve ver com muito cuidado para não cercear o direito de ninguém”, completou Pedrossian dizendo esperar que a revisão comece ainda neste primeiro semestre.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Maio de 2019
Domingo, 19 de Maio de 2019
13:49
Costa Rica
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
05:03
Campeonato Brasileiro de Futebol
Sábado, 18 de Maio de 2019
09:00
Santo do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)