Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/05/2015 09:21

Classe política: que imagem ela passa?

Por Manoel Afonso

Ao jantar sozinho num restaurante de Brasília - no dia de sua posse na Câmara - o deputado Benjamim Maranhão ( SD-PB) conseguiu gastar R$1.495,00. Em que pese o luxo do estabelecimento, o prato mais caro servido não chega a R$200,00. Aliás, a própria nota fiscal (exposta na mídia) comprova o exagero ou farsa como queira.


Se no primeiro dia como representante da pobre Paraíba, o deputado tratou de levar vantagem mandando alterar o valor dos gastos, para ser reembolsado pela Câmara Federal, não é difícil prever do que ele será capaz ao longo do mandato.


Se “as vezes, a política nos causa nojo” – como disse a ex-deputada Luciana Genro, uma das causas pode ser que os políticos priorizem a política para a classe política e não para o povo. As mordomias e vantagens – por exemplo – que a Câmara proporciona, representa o inverso das propostas eleitoreiras dos senhores deputados. Só em 2014 os gastos extras com os representantes do povo chegaram a R$753 milhões, o suficiente para se construir 11 mil casas populares.
Todos os deputados, quando questionados sobre o malabarismo para justificar ou comprovar os gastos astronômicos, esquecem o lado ético e moral, e apenas dizem que agiram dentro da lei. Para nós do Mato Grosso do Sul ficou gravada em nosso imaginário aquela mesma argumentação do deputado Dagoberto Nogueira - por ter ganho o título de campeão de viagens internacionais. Nada mais que 40.


Mas em que pese os casos do Mensalão e da Petrobrás, do rigor e retidão do juiz federal que preside esse último processo, no imaginário popular continua sobrevivendo a ideia de que eles políticos sempre encontram uma brecha para escapar ou amenizar os castigos. Os exemplos de Zé Dirceu, João Paulo, Genoino e Delúbio mostram isso.
Quando se diz que os políticos priorizam suas vantagens e direitos, não se pode esquecer a descabida decisão de dar-lhes o foro privilegiado para responderem por seus atos na Justiça. Daí que dispõem de mecanismos diversos de influência, com os processos se arrastando por anos a fio.


O deputado Vander Loubet – por exemplo, responde a 11 processos no STF e nem por isso deve fazer uso de remédios para dormir. Pelo fato de seu nome constar da lista dos denunciados pelo doleiro Youssef na Operação Lava Jato, ele simplesmente disse estar ‘surpreso’. Tradução: ‘acredita na impunidade’.


Enquanto os políticos continuarem usando o argumento legal (baseado nas leis), e menosprezando o lado ético-moral para justificar seus atos, passarão a imagem negativa para todos nós. A nota fiscal do jantar do deputado Benjamim é apenas mais um exemplo. De leve...

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)