Cassilândia, Segunda-feira, 24 de Julho de 2017

Últimas Notícias

22/01/2007 09:46

Chuva deixa Tacuru e Sete Quedas ilhadas por 60 dias

Fernanda Mathias/Campo Grande News

Desde o dia 21 de dezembro do ano passado os municípios de Tacuru e Sete Quedas estão ilhados do resto do Estado e só contam com acessos precários por conta da ação da chuva, que provocou interdições em dois trechos da MS-160 e derrubou várias pontes na região. A situação mais difícil é a de Sete Quedas, onde já começam a faltar gêneros alimentícios básicos, como sal e a açúcar, na prateleira dos supermercados. Com as dificuldades para transporte, os produtos também estão mais caros, segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Massao Hara.

“O ponto de maior preocupação é que as colheitas já iniciaram esta semana e temos previsão de em torno de 30 a 40 mil toneladas de grãos que precisamos escoar”, afirma. Isso, explica, porque a capacidade de armazenagem dentro do município é de apenas 1,8 mil toneladas. O fato de o governo ainda não ter se manifestado sobre o assunto, afirma o secretário, gera insegurança. “Já tivemos três reuniões marcadas e que foram adiadas”, conta. A alternativa à rodovia tem sido a estrada internacional.

O desvio que foi implantado, afirma o secretário, também oferece problemas por conta da ação das chuvas. “Ontem tinha caminhão atolado no desvio que fizeram entrando em Tacuru. Geralmente o primeiro ponto depois do desvio é a oficina mecânica”, conta. Diz, ainda, que recentemente caminhão da cooperativa de leite paranaense que faz coleta em Sete Quedas ficou atolado e acabou perdendo o produto. Por isso, ameaça não captar mais o leite do município caso a situação não seja resolvido, o que põe em risco a produção local.

Em Tacuru, o engenheiro da prefeitura Odilon Trindade Vanlençoela, ressalta que o escoamento da safra também é a grande preocupação. “Com a aftosa muita gente migrou para a agricultura e perdemos sete pontes o que compromete o escoamento”, diz. Segundo ele, a MS-160 está interditada em dois pontos, desde dezembro. Na ponte sobre o Rio Puitã e na galeria do Rio Tacuru. Segundo ele, são estimados investimentos necessários de R$ 6 milhões para resolver o problema. Só a prefeitura teria de aplicar R$ 1,5 milhão em recuperação de pontes e pavimento interno.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 24 de Julho de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 23 de Julho de 2017
08:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)