Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

18/03/2007 15:13

China quer criar imposto do cachorro

Damásio.com.br

Um Deputado chinês propôs ao Parlamento, em 12 de março deste ano, a instituição de um imposto para os proprietários de cachorros, como forma de controlar a expansão desses animais domésticos e financiar o combate à raiva.

Jiang Deming, que é também vice-diretor do Centro de Pesquisas Tecnológicas Agrárias da China, argumenta que, no ano passado, 2 mil chineses morreram de hidrofobia e que, sem um imposto que contenha o número de animais, a incidência de raiva tende a aumentar. O projeto faz parte de um conjunto controvertido de políticas que a China tem adotado contra cães.

Desde novembro, vigora em Pequim lei que permite apenas um cão por família. Os moradores, porém, recusam-se a entregar o segundo animal à carrocinha, e 200 pessoas participaram de uma manifestação que qualificou a exigência de arbitrária.

Segundo a BBC, o Deputado Jiang também disse estar preocupado com a limpeza urbana e com a eliminação das fezes que sujam as calçadas.

Além do “imposto do cachorro”, ele quer proibir a criação nas cidades de cães excessivamente grandes ou de raças que tenham um comportamento mais agressivo. Um outro argumento dele é o de que o imposto desencorajaria pessoas mais pobres a criarem cães domésticos.

Meio milhão de vítimas

Em agosto do ano passado, depois da morte por raiva de 16 pessoas, as autoridades municipais de Jining, na Província de Shandong, a oeste do país, decidiram matar todos os cães na cidade e em aldeias num raio de cinco quilômetros.

Cerca de 500 mil animais foram mortos. Um grupo ocidental de defesa dos direitos animais, chamado Peta, lançou campanha pelo boicote a produtos chineses.

Jornalistas locais disseram que os proprietários dos animais se recusavam a entregá-los à carrocinha e tinham como alternativa envenená-los diante dos fiscais.

O jornal britânico The Guardian relata que, no distrito de Wanzhou, os proprietários de cães têm até o próximo dia 16 para entregá-los ou comprovar que eles foram mortos.

Uma outra entidade ocidental de proteção, a Humane Society, distribuiu nota em que acusava as autoridades chinesas de negligência por não vacinarem os animais.

O fato de ser ou não proprietário de cães domésticos foi por muito tempo na China uma questão privada, sem maiores ingerências do setor público.

O quadro mudou com a proliferação da hidrofobia e com a incompetência das campanhas de vacinação. Além disso, com a aparição de uma nova classe de ricos, ser proprietário de um cão de raça também passou a dar status social.

Divórcio

Em Nanquim, em maio de 2004, a mídia relatou o pedido de divórcio de um cidadão cujo cachorro, chamado Tigrinho Negro, foi morto por sua mulher. Ela não se conformava com a sujeira feita pelo cão em um apartamento luxuoso que eles compraram.

Na época, com estimados 700 casos de morte por hidrofobia a menos que hoje, a Universidade de Pequim publicou estudo afirmando que proprietários de cães tinham mais saúde e eram mais felizes que o restante da população.

Arqueólogos acreditam que a China foi o primeiro país, há cerca de 12 mil anos, em que os cães foram domesticados. Trata-se também do país em que cerca de 300 mil animais são criados especialmente para o corte. A carne de cachorro é bastante cara e é consumida por uma minoria.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sexta, 17 de Novembro de 2017
19:49
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)