Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

21/06/2012 17:17

CGT argentina convoca população para greve geral

Monica Yanakiew, Agência Brasil

Buenos Aires - O líder da Confederação Geral do Trabalho (CGT) da Argentina, Hugo Moyano, convocou a população para uma greve geral na próxima quarta-feira (26), acompanhada de uma manifestação em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino, em Buenos Aires.

“Convidamos todos os homens e mulheres, que se sintam prejudicados pelo imposto cobrado ao trabalho, que se reúnam na Praça de Maio na quarta-feira”, disse Moyano, num anúncio transmitido ao vivo, nesta quinta-feira (21) pelas emissoras de rádio e televisão da Argentina.

Com o anúncio, o sindicalista formalizou sua ruptura com o governo da presidenta Cristina Kirchner. “Parece que estamos numa ditadura militar”, disse Moyano, que acusou o governo de “mandar, sem querer ouvir ninguém”, nem os aliados.

Moyano foi um forte aliado dos primeiros dois governos Kirchner: o de Néstor Kirchner (2003-2007) e de sua mulher Cristina, reeleita para um segundo mandato de quatro anos em dezembro passado. Em nove anos, consolidou seu poder como líder do sindicato dos caminhoneiros e como secretário-geral da CGT. Mas desde a morte de Néstor, em 2011, as relações com Cristina começaram a esfriar.

Moyano deu a entender que tem aspirações políticas, ao dizer que chegou a hora de “um trabalhador ocupar a presidência” da Argentina. A presidenta, depois de retrucar que trabalha desde jovem, fechou as portas da Casa Rosada para Moyano.

“Moyano teve que aguentar calado porque a economia argentina crescia e Cristina Kirchner foi reeleita com 54% dos votos. Mas agora a situação mudou. A Argentina está sentindo os efeitos da crise mundial e as forças políticas estão de olho nas próximas eleições”, disse em entrevista à Agencia Brasil o analista politico Rosendo Fraga.

Em julho, Moyano disputa a reeleição como secretário-geral da CGT, sem o apoio do governo. Na quarta-feira passada (20), o sindicato dos caminhoneiros paralisou a distribuição de combustível no país para exigir um aumento salarial de 30%. Hoje a categoria acertou um aumento de 25,5% e suspendeu a greve parcial. Em compensação, Moyano anunciou uma greve – desta vez nacional – para exigir do governo mais subsídios aos trabalhadores de baixa renda e menos impostos.

O governo tinha ameaçado recorrer a Justiça e aplicar uma multa aos responsáveis pelo desabastecimento de combustível no país.

Edição: Fernando Fraga

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)