Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

Últimas Notícias

21/06/2012 17:17

CGT argentina convoca população para greve geral

Monica Yanakiew, Agência Brasil

Buenos Aires - O líder da Confederação Geral do Trabalho (CGT) da Argentina, Hugo Moyano, convocou a população para uma greve geral na próxima quarta-feira (26), acompanhada de uma manifestação em frente à Casa Rosada, sede do governo argentino, em Buenos Aires.

“Convidamos todos os homens e mulheres, que se sintam prejudicados pelo imposto cobrado ao trabalho, que se reúnam na Praça de Maio na quarta-feira”, disse Moyano, num anúncio transmitido ao vivo, nesta quinta-feira (21) pelas emissoras de rádio e televisão da Argentina.

Com o anúncio, o sindicalista formalizou sua ruptura com o governo da presidenta Cristina Kirchner. “Parece que estamos numa ditadura militar”, disse Moyano, que acusou o governo de “mandar, sem querer ouvir ninguém”, nem os aliados.

Moyano foi um forte aliado dos primeiros dois governos Kirchner: o de Néstor Kirchner (2003-2007) e de sua mulher Cristina, reeleita para um segundo mandato de quatro anos em dezembro passado. Em nove anos, consolidou seu poder como líder do sindicato dos caminhoneiros e como secretário-geral da CGT. Mas desde a morte de Néstor, em 2011, as relações com Cristina começaram a esfriar.

Moyano deu a entender que tem aspirações políticas, ao dizer que chegou a hora de “um trabalhador ocupar a presidência” da Argentina. A presidenta, depois de retrucar que trabalha desde jovem, fechou as portas da Casa Rosada para Moyano.

“Moyano teve que aguentar calado porque a economia argentina crescia e Cristina Kirchner foi reeleita com 54% dos votos. Mas agora a situação mudou. A Argentina está sentindo os efeitos da crise mundial e as forças políticas estão de olho nas próximas eleições”, disse em entrevista à Agencia Brasil o analista politico Rosendo Fraga.

Em julho, Moyano disputa a reeleição como secretário-geral da CGT, sem o apoio do governo. Na quarta-feira passada (20), o sindicato dos caminhoneiros paralisou a distribuição de combustível no país para exigir um aumento salarial de 30%. Hoje a categoria acertou um aumento de 25,5% e suspendeu a greve parcial. Em compensação, Moyano anunciou uma greve – desta vez nacional – para exigir do governo mais subsídios aos trabalhadores de baixa renda e menos impostos.

O governo tinha ameaçado recorrer a Justiça e aplicar uma multa aos responsáveis pelo desabastecimento de combustível no país.

Edição: Fernando Fraga

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 25 de Abril de 2017
Segunda, 24 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)