Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

19/04/2004 11:21

Cem parentes de garimpeiros mortos aguardam resgate

Juliana Cézar/ABr

O luto tomou conta de Espigão D´Oeste, em Rondônia. Há dez dias, notícias de que um conflito entre índios Cinta-Larga e garimpeiros levou à morte um número ainda indefinido de homens trouxeram à cidade mães, irmãos e filhos de possíveis vítimas. São famílias de todas as partes do país, de São Paulo à Paraíba.

“Cerca de 100 pessoas estão aqui aguardando os corpos”, contabiliza Gilton Muniz, um dos representantes do Sindicato dos Garimpeiros no município, que fica a 80 km da reserva indígena Roosevelt, local onde, durante a Semana Santa, ocorreu o confronto. “Alguns familiares estão em casas de amigos, em alojamentos cedidos pela prefeitura e no próprio sindicato.”

A expectativa dos parentes dos garimpeiros era de que a Polícia Federal resgatasse ontem os corpos dos 26 homens encontrados na sexta-feira (16) por uma equipe da Fundação Nacional de Índio, a partir de informações dadas pelos próprios índios. A operação de busca, no entanto, foi adiada para hoje.

De acordo com o delegado da Mauro Spósito, a mata densa e a chuva atrapalharam o resgate. Trinta agentes estão acampados no local onde foram encontrados os corpos. Pelo avançado estado de decomposição dos mortos, ainda não é possível saber o número exato de homens. Há uma semana, três corpos foram encontrados nas proximidades dessa área pela PF.

Os assassinatos trouxeram tensão para Espigão D´Oeste. No último sábado, os cerca de 50 índios que moravam na cidade abandonaram as próprias casas com medo da ameaça dos garimpeiros. De acordo com o comandante da Polícia Militar, subtenente Firmino Aparecido, a expectativa continuou ontem. "Mas o dia foi bem mais tranqüilo. A possiblidade de novos confrontos na cidade é remota", conta o policial.

“É natural que algumas pessoas pensassem em alguma reação diante de tantas mortes”, admite o líder sindical, Gilton Muniz. “Mas estamos alertando que não adianta querer fazer o mesmo que os índios fizeram. Temos que acreditar na Justiça.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)