Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

19/04/2004 11:21

Cem parentes de garimpeiros mortos aguardam resgate

Juliana Cézar/ABr

O luto tomou conta de Espigão D´Oeste, em Rondônia. Há dez dias, notícias de que um conflito entre índios Cinta-Larga e garimpeiros levou à morte um número ainda indefinido de homens trouxeram à cidade mães, irmãos e filhos de possíveis vítimas. São famílias de todas as partes do país, de São Paulo à Paraíba.

“Cerca de 100 pessoas estão aqui aguardando os corpos”, contabiliza Gilton Muniz, um dos representantes do Sindicato dos Garimpeiros no município, que fica a 80 km da reserva indígena Roosevelt, local onde, durante a Semana Santa, ocorreu o confronto. “Alguns familiares estão em casas de amigos, em alojamentos cedidos pela prefeitura e no próprio sindicato.”

A expectativa dos parentes dos garimpeiros era de que a Polícia Federal resgatasse ontem os corpos dos 26 homens encontrados na sexta-feira (16) por uma equipe da Fundação Nacional de Índio, a partir de informações dadas pelos próprios índios. A operação de busca, no entanto, foi adiada para hoje.

De acordo com o delegado da Mauro Spósito, a mata densa e a chuva atrapalharam o resgate. Trinta agentes estão acampados no local onde foram encontrados os corpos. Pelo avançado estado de decomposição dos mortos, ainda não é possível saber o número exato de homens. Há uma semana, três corpos foram encontrados nas proximidades dessa área pela PF.

Os assassinatos trouxeram tensão para Espigão D´Oeste. No último sábado, os cerca de 50 índios que moravam na cidade abandonaram as próprias casas com medo da ameaça dos garimpeiros. De acordo com o comandante da Polícia Militar, subtenente Firmino Aparecido, a expectativa continuou ontem. "Mas o dia foi bem mais tranqüilo. A possiblidade de novos confrontos na cidade é remota", conta o policial.

“É natural que algumas pessoas pensassem em alguma reação diante de tantas mortes”, admite o líder sindical, Gilton Muniz. “Mas estamos alertando que não adianta querer fazer o mesmo que os índios fizeram. Temos que acreditar na Justiça.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)