Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

20/12/2006 07:24

Celg pode interromper fornecimento de energia

STJ

Está mantida a decisão que permitiu à Companhia Energética de Goiás (CELG) interromper o fornecimento de energia elétrica à Itumbiara Transmissora de Energia Ltda, que deverá, ainda, promover, em 30 dias, a imediata substituição da estrutura EMI.300 pela torre EP.420, no ponto de cruzamento da linha Rio Verde – Acreúna. O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Raphael de Barros Monteiro Filho, negou o pedido de suspensão feito pela Itumbiara.

A Celg propôs ação declaratória com pedido de tutela antecipada, combinada com indenizatória contra a Itumbiara. O juiz de Direito da 1ª Vara Cível, Infância e Juventude de Rio Verde-Go deferiu o pedido para a interrupção do fornecimento e a instalação da estrutura, fixando, ainda, uma multa de R$ 20 mil caso a decisão fosse descumprida.

A Itumbiara protestou com agravo de instrumento, mas foi negado provimento. Posteriormente, a Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás, ao examinar agravo regimental, confirmou a liminar. “O que se percebe é que tanto a agravante quanto a agravada não querem se sujeitar a modificações em seus projetos de eletrificação, porque isso implica gastos que cada qual não quer realizar”, afirmou a desembargadora.

A Itumbiara recorreu, então, ao STJ, pretendendo suspender a decisão. Segundo alegou, há manifesto interesse público no caso. “A decisão recorrida merece ser reformada por violar a legislação do setor elétrico e contrariar os contratos de concessão das partes, trazendo, por seu turno, toda sorte de embaraços técnico-financeiros e, por que não dizer, grave lesão à economia pública”.

O presidente do STJ, Barros Monteiro, negou seguimento ao pedido. “Ao contrário do que alega a requerente, não está a verificar-se interesse público direto a ser tutelado pela via excepcional da suspensão de liminar ou sentença”, considerou o ministro. “Ressai claro que a empresa, embora permissionária do poder público, in casu, quer garantir interesse particular dela própria”, concluiu.


Autor(a):Rosângela Maria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)