Cassilândia, Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

06/07/2012 17:41

Cassilândia: Moacir é condenado; tentativa é desclassificada para lesão

Moacir Vasconcelos do NascimentoMoacir Vasconcelos do Nascimento

Moacir Vasconcelos do Nascimento foi condenado a 3 anos e 2 meses de reclusão em julgamento realizado hoje em Cassilândia pelo Tribunal do Juri. . O regime inicial de cumprimento da pena deverá ser inicialmente o semiaberto.

Ele respondia a tentativa de homicidio contra Valdir Batista Ferreira, no dia 24 de agosto de 2010.

O juri aceitou a desclassificação de tentativa de homicidio para lesão corporal gravíssima.

Em função disto a juiza Luciane Buriasco Isquerdo proferiu a seguinte sentença condenatória:

Sentença Condenatória
ISTO POSTO, diante de toda a prova carreada aos autos, julgo CONDENO o réu Moacir Vasconcelos do Nascimento nas penas do art. 129, § 2.º, I, III e IV do Código Penal. Passo a aplicar a pena. Em análise às circunstâncias judiciais, considero grave a culpabilidade do réu, que utilizou-se de arma de uso restrito, o que é bastante reprovável. O réu não registra antecedentes (certidões de fls. 354-356). No que tange à sua conduta social e personalidade, nada há nos autos que justifique aumento de pena base, tratando-se de pessoa boa e trabalhadora. Quanto aos motivos do crime, entendo foram torpe, não tanto pelo relacionamento com a filha da vítima e pelas questões comerciais, mas porque a ação foi rápida como narrado pela testemunha, não dando tempo a discussões, de forma que o réu não já chegou com a \"cabeça quente\", não lhe dando a situação concreta qualquer motivo para que atirasse, o que poderia ter feito para cima, caso apenas quisesse amedontrar, não estando a vítima armada. No que tange às circunstâncias e conseqüências do crime, são graves, não só pelo que caracterizou a lesão como gravíssima, mas por nunca ter o réu procurado, nem logo após o crime, pois a vítima ficou incapacitada para ocupações habituais e para o trabalho, além do tiro ter acarretado em perigo de vida da vítima. Por fim, o comportamento da vítima foi o normal. Pelas razões expostas, fixo a pena-base em 03 (três) anos e 02 (dois) meses de reclusão. Não há agravantes, eis que o motivo torpe já foi considerado nas circunstâncias judiciais. Não há atenuantes. Não há causas de aumentou ou de diminuição de pena. Torno, portanto, definitiva a pena deste crime em 3 (três) anos e 02 (dois) meses de reclusão. Não é possível a substituição da pena por restritivas de direitos, diante do fato do crime ter sido praticado com violência. Diante da pela aplicada, também não é possível a aplicação do sursis. O regime inicial de cumprimento da pena deverá ser inicialmente o semiaberto, em aplicação ao art. 33, § 3.º, do Código Penal, considerando as circunstâncias desfavoráveis. Considerando a pena imposta, e que após se apresentar à autoridade policial, o acusado compareceu a todos os atos do processo, autorizo que eventual recurso seja respondido em liberdade. Transitada em julgado a sentença, lance-se o nome do condenado no \"rol dos culpados\", proceda-se às comunicações necessárias ao Instituto de Identificação Criminal e à Justiça Eleitoral e expeça-se a Carta de Guia do réu, onde será designada audiência admonitória para início do cumprimento do regime semiaberto, com cálculo de pena, arquivando-se estes autos. Remeta-se também a arma ao Exército. Decreto o perdimento da fiança em favor de entidade a ser definida quando da execução penal. Ficam revogadas as medidas cautelares aplicadas ao réu. Publique-se; Registre-se e Intimem-se. Custas pelo réu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 18 de Agosto de 2017
Quinta, 17 de Agosto de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)