Cassilândia, Domingo, 19 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

20/06/2017 09:17

Cassilândia e Chapadão do Sul não perderão seus cartórios eleitorais

Redação

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) recuou de sua decisão de extinguir 26 zonas eleitorais em Mato Grosso do Sul, baixando para 11 o número de municípios atingidos, segundo adiantou o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), durante reunião na tarde desta segunda-feira (19) com prefeitos e parlamentares, no plenário da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Na verdade, Dagoberto se antecipou ao comunicado que seria feito pela diretora-geral do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), Tânia Coutinho, presente ao encontro, que contou ainda com a presença do presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi (PMDB) e dos deputados estaduais Beto Pereira (PSDB), Paulo Corrêa (PR), Professor Rinaldo (PSDB), Coronel David (PSC) e Eduardo Rocha (PMDB).

O encontro foi marcado pelo presidente da Assomasul, Pedro Caravina, que pediu mobilização da representatividade do Estado no Congresso Nacional a fim de reverter a situação.

Em princípio, resolução baixada pelo presidente do TSE, Gilmar Mendes, previa a extinção de zonas eleitorais nos municípios de Cassilândia, Fátima do Sul, Bataguassu, Camapuã, Porto Murtinho, Água Clara, Aparecida do Taboado, Iguatemi, Sonora, Caarapó, Pedro Gomes, Bonito, Mundo Novo, Bandeirantes, Rio Negro, Deodápolis, São Gabriel do Oeste, Inocência, Dourados, Nioaque, Sete Quedas, Anaurilândia, Chapadão do Sul, Corumbá, Três Lagoas e Ponta Porã.

Com o recuo do TSE, as zonas eleitorais extintas serão Porto Murtinho, Pedro Gomes, Rio Negro, Deodápolis, Inocência, Nioaque, Sete Quedas, Anaurilândia, Corumbá, Três Lagoas e Ponta Porã.

Caravina quer o apoio da classe política local na tentativa de reverter à decisão, por considerar uma discrepância o critério — a densidade demográfica — utilizado por Gilmar Mendes para remanejar essas zonas eleitorais em Mato Grosso do Sul.

Ele alega que haverá acúmulo de demandas nas zonas que irão incorporar as extintas, além do fato de se ampliar o número de processos, de eleitores e candidatos nessas unidades, que deverão ser atendidos pelo mesmo promotor e juiz.

Além do mais, o dirigente acredita que a medida dificultará ainda mais para o eleitor residente nas pequenas cidades do interior o acesso à Justiça Eleitoral.

Em sua fala, Dagoberto considerou a medida preocupante e prometeu levar o assunto para o coordenador da bancada federal, senador Waldemir Moka (PMDB), com objetivo de convocar uma reunião com os demais senadores e deputados para pressionar o TSE.

Ele disse ter garantido recursos visando à construção de dois cartórios eleitorais na cidade de Cassilândia. “Se não vai ter mais é preocupante, vai ser um transtorno”, lamentou o deputado, ao considerar isolada a decisão de Mendes.

“Tem gente que vai andar 400 quilômetros para fazer um título, isso só vai estimular a corrupção eleitoral porque que tem dinheiro tira o título, quem não tem não”, sentenciou Dagoberto, referindo-se a eventual aliciamento de eleitores durante o período de campanhas eleitorais.

O pedetista também comentou sobre uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) interposta pela Associação dos Magistrados pedindo a revogação da resolução e de portarias do TSE. No entanto, prevê demora no julgamento do mérito da questão.

 

Por Wlliam Araujo, publicado em O Correio News

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 19 de Novembro de 2017
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sexta, 17 de Novembro de 2017
19:49
Cassilândia
10:28
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)