Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/02/2010 07:21

Cassilândia: Detectado seis casos de raiva bovina

O Iagro de Cassilândia detectou seis casos de raiva bovina em uma propriedade rural do município, distante 10 quilometros da cidade, segundo informação do chefe do escritório local, o veterinário Lino de Castro. Os seis animais morreram. Ele acredita existir em outras propriedades, mas os responsáveis escondem, com medo de interdição. Confudem a raiva com a aftosa.

Todas as propriedades próximas foram notificadas para fazer a vacinação contra a raiva e o reforço dentro de 30 dias.

Entende que a construção de usinas hidrelétricas na região e a proibição de capturar os morcegos dentro da caverna, pelo Ibama, está fazendo aumentar a incidência.

Com a formação do lago o habitat dos morcegos é atingido e eles têm que procurar outros lugares.

A proibição do Ibama

Quando surgiram os primeiros casos na região, no ano passado, Lino de Castro revelava que o Ibama proibiu o combate do morcego dentro das cavernas. Entendia ter sido um dos fatores do aumento do número de morcegos e consequentemente a volta da raiva. Quando podiam ingressar nas cavernas capturavam um morcego e com o tratamento feito, um eliminava de 20 a 30.

O Iagro passou a colocar redes na saída das cavernas ou em currais. Mas, não funciona, como antigamente. “Assim nós não vamos conseguir bloquear o aumento dos morcegos hematófagos, que é o transmissor da raiva e consequentemente ele vai chegar na cidade”, dizia na oportunidade.


Algumas considerações sobre a raiva bovina

Publicado em 23/08/2004 por Lívio Molina, professor da EV-UFMG

A raiva dos herbívoros ‚ respons vel por enormes prejuízos econ“micos diretos. Na Am‚rica Latina, o prejuízo ‚ da ordem de 30 milhões de dólares/ano, sendo que no Brasil este valor se aproxima de 15 milhões de dólares, com a morte de cerca de 40.000 cabeças bovinas. Os prejuízos indiretos, no Brasil, estão calculados em 22,5 milhões de dólares. A infecção natural ocorre em praticamente todos os mamíferos dom‚sticos e silvestres.

Os morcegos são transmissores de raiva, principalmente os que se alimentam de sangue e principalmente da raiva dos animais dom‚sticos de campo, como os bovinos e os eqinos. Ressalta-se que esta situação ocorre na Am‚rica Latina em função da presença do morcego hematófago Desmodus rotundus apenas na faixa compreendida entre o M‚xico e a região central da Argentina, sendo esta esp‚cie de quiróptero a mais importante na transmissão na raiva dos herbívoros. Com a colonização europ‚ia no continente americano e a introdução dos animais dom‚sticos, principalmente bovinos e eqinos, al‚m das alterações ambientais consequentes, foram proporcionadas condições ideais para a proliferação do Desmodus rotundus.

 tamb‚m conhecida como hidrofobia e causada por um vírus. Trata-se de uma doença incur vel e fatal contra a qual existe tanto vacina como soro mas não tratamento depois que a doença se manifestou. Diversos países estão livres dessa doença. Existem a raiva urbana e raiva selvagem. A grande maioria dos casos humanos acontece nas cidades e são devidos a mordidas de cães raivosos.

Existem dois tipos de raiva animal, em relação aos sintomas: a raiva furiosa e a raiva muda ou paralítica. No cão, o período de incubação ‚ de 10 dias a 2 meses ou mais. Na fase que antecede … manifestação mais gritante da doença, os animais apresentam alterações de conduta, procuram se esconder em locais escuros, ficam anormalmente agitados. A excitabilidade reflexa fica exaltada. O animal se assusta ao menor estímulo. O apetite diminui ou acaba e a região onde ele foi mordido fica irritada. Depois de 1 a 3 dias, os sintomas de excitação e agitação se intensificam muito e o cão fica perigosamente agressivo, com tendência a morder objetos, animais e at‚ o próprio dono. Muitas vezes, morde-se a si próprio, provocando s‚rias feridas. A salivação ‚ abundante porque o cão não consegue engolir a saliva em decorrência da paralisia dos músculos da deglutição. O latido fica diferente por causa da paralisia parcial das cordas vocais. Os cães raivosos tendem a abandonar suas casas e a percorrer grandes distâncias atacando, com fúria, seus iguais ou outros animais. Na fase terminal da doença, freqentemente pode-se observar convulsões generalizadas, descoordenação muscular e paralisia dos músculos do tronco e das extremidades.

A forma muda, ou paralítica, caracteriza-se pelo predomínio dos sintomas paralíticos e a fase de excitação ‚ muito curta ou mesmo inexistente. A paralisia começa pelos músculos da cabeça e pescoço; o animal sente dificuldade de engolir parecendo que est engasgado com um osso. O dono, ao socorrer o cão, acaba se contaminando. Em seguida, vem a paralisia das extremidades, a paralisia geral e a morte.A raiva dos gatos ‚, na maioria das vezes, do tipo furioso com sintomatologia semelhante … dos cães.

Os bovinos e eqinos contraem raiva, principalmente atrav‚s da mordedura de morcegos infectados. A sintomatologia, entretanto ‚ diferente. A raiva bovina transmitida por morcegos tem um período de incubação longo, variando de 25 a mais de 150 dias. Os sintomas predominantes são do tipo paralítico.

O período de incubação ‚ vari vel, por‚m o mais comum ‚ entre 25 e 90 dias. Depende da susceptibilidade do animal, do estado imunit rio, da idade, do local da mordedura e da quantidade de vírus inoculado. A forma mais freqente em bovinos ‚ a paralítica. Os sintomas iniciais são: isolamento do animal, tristeza, hiperexcitabilidade. A seguir, surgem sintomas que sugerem engasgo, hipersalivação, tremores musculares, paralisia dos membros posteriores, os animais caem e apresentam movimentos de pedalagem; a morte ocorre entre 3 e 5 dias do início dos sintomas.

Os eqinos, ovinos e caprinos infectados pelo vírus da raiva, após um período vari vel de excitação, apresentam fen“menos de paralisia que dificultam a deglutição e provocam descoordenação das extremidades. O paladar desses animais se altera e eles engolem objetos não digeríveis. Os suínos apresentam uma fase de excitação muito violenta e a sintomatologia, em geral, ‚ muito semelhante … dos cães. As aves, só muito excepcionalmente adquirem raiva.

Qualquer doença que cause encefalite pode provocar sintomas semelhantes aos da raiva. Nos bovinos, a raiva pode confundir-se com botulismo, enterotoxemia, babesiose, intoxicações e outras doenças com sintomatologia nervosa. Nos eqinos, deve-se fazer o diagnóstico diferencial em relação … encefalomielite, rinopneumonite e intoxicações.

Assim, o diagnóstico clínico ‚ apenas sugestivo, devendo ser confirmado em laboratório, principalmente quando houver contato de pessoas com o animal suspeito. Considerando-se o perigo de contaminação do operador e que a eficiência dos m‚todos de diagnóstico depende das condições de conservação da amostra, a colheita desse material deve ser feita por m‚dico-veterin rio. Em laboratório, as t‚cnicas mais utilizadas são:

1.Imunofluorescência.
2.Identificação de corpúsculos de Negri pela coloração de Sellers.
3.Inoculação intracerebral em camundongo.

As t‚cnicas 1 e 2 são as mais r pidas, pois na inoculação intracerebral os camundongos devem ser observados por 30 dias. Os hospedeiros animais que mantêm o vírus r bico na natureza são os carnívoros e os morcegos. Os herbívoros e outros animais não mordedores, os roedores e os coelhos não desempenham nenhum papel na epidemiologia.

Para o adequado controle da raiva dos herbívoros, três medidas devem ser adotadas sistematicamente: vacinação, controle populacional do morcego hematófago e atendimento de foco. O cão ‚ o principal vetor da raiva humana. A infecção se transmite de um cão ao outro e do cão para o homem e aos outros animais dom‚sticos por mordeduras.

O vírus da raiva ‚ um vírus que possui RNA, pertencente … família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus. Os membros desta família possuem natureza prot‚ica complexa, o que os torna bons indutores de imunidade, quando comparados a outros vírus. Isto significa que, em condições de campo, os animais vacinados apresentam bom nível de anticorpos e imunidade duradora.

O animal deve estar saud vel no momento da vacinação, para que outros processos metabólicos e patológicos não interfiram na resposta imunológica. Os cuidados de vacinação devem ser adequados quanto … via de aplicação, dose, tipo de vacina e, principalmente, conservação do produto, tanto no momento da vacinação como desde a sua produção. Os principais tipos de vacina utilizados atualmente no Brasil são: viva atenuada e inativada.

As condições de meio ambiente existentes no Brasil vêm favorecendo o aumento da população de morcegos hematófagos. Considerando a circulação do vírus da raiva entre as populações de quirópteros (ciclo a‚reo da raiva), e a importância do morcego hematófago na epidemiologia desta doença nos herbívoros, medidas criteriosas e efetivas de controle devem ser seguidas. Atualmente, a medida oficial de controle adotada baseia-se no uso da pasta vampiricida (… base de substâncias anticoagulantes), seja nos morcegos hematófagos ou nas mordeduras nos animais agredidos.

Publicado no site Rehagro

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)