Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/10/2011 08:00

Cassilândia: delegado diz que soldado queria matar tenente

Bruna Girotto

Em entrevista ao programa Rotativa no Ar, da Rádio Patriarca, o delegado Rodrigo de Freitas informou, na manhã de ontem (18), que diversas testemunhas foram ouvidas sobre o homicídio do tenente Eufrásio ocorrido no final de semana em Cassilândia (MS). \"Estamos em fase final, para ser remetido ao Judiciário. Estamos esperando o médico legista enviar os armamentos e munições que foram retiradas do corpo, para enviá-las a perícia\", disse.

Segundo Rodrigo, o laudo é fundamental para tirar as dúvidas. \"E temos muitas dúvidas. Ele que vai sanar\", enfatizou.

Ele disse ainda que a Polícia Civil está trabalhando com três a quatro hipóteses. \"É que vão surgindo dúvidas em nossas cabeças. Não tem como você ter uma opinião formada se você não tem um laudo para lhe dizer o que aconteceu de verdade\", contou.

Rodrigo explicou que o Direito Penal ensina que o corpo fala. \"E fala mesmo\", confirmou. Porque, de acordo com o delegado, \"a perícia vai dizer a trajetória que a bala entrou, vai dizer de quais calibres saíram as munições, vai dizer se estavam em pé ou no chão, e se estavam rolando pelo chão. Isso tudo é determinante\".

O delegado disse que tem muitas dúvidas a respeito do crime. E descreve a cena do crime: \"Os policiais militares ficaram muitos nervosos. Se coloque na situação, o seu comandante e um colega de trabalho, lutando, com tiros disparando, porque a arma do Adriano Paulo havia seis disparos. Você vê um colega de trabalho vendo esse monte de tiros contra o próprio comandante. Então as coisas passam muito rápido na cabeça dessas pessoas. Às vezes, estão com boa vontade, querendo nos auxiliar, mas não tem como, as dúvidas surgem\".

O delegado afirmou que o sargento Caleghari ficou segurando o filho de Adriano Paulo (o soldado Paulão). \"Através do relato do sargento, um dos disparos do Adriano Paulo quase atingiu ele e a criança. Por isso ele não teve possibilidade de reação nenhuma. Primeiro, ele estava desarmado. Não esperava por isso. Não estava em trabalho. Ele foi lá para tentar contornar a situação\".

O delegado disse que as versões batem bastante em relação à chegada e discussão entre Adriano Paulo e o tenente Eufrásio. \"Então, aparentemente, Paulo teria dado dois disparos. Um policial disse que foi um e o outro disse que foram dois. A nossa conclusão inicial é que foram dois disparos. Nesses dois disparos, nenhum atingiu o tenente, que correu para trás da casa . Ele circundou a residência e aí entrou em luta corporal com Paulo, que veio ao seu encontro\", explicou.

Segundo Rodrigo, aparentemente, no momento em que o tenente entrou em luta corporal com o Paulo, o tentente não estava baleado. Isso porque, \"em qualquer lugar que tivesse acertado, a vítima não teria condições de entrar em luta corporal\".

O delegado volta a insitir que os tiros que acertaram o tenente podem ser do Paulão, porque segundo ele, não descarta que o da cabeça também pode ser um 38, a exemplo dos outros dois que acertam a região do abdôme. \"Estamos trabalhando ainda com esta hipótese. É por isso que precisamos do laudo”, afirmou.

O repórter fez o seguinte questionamento ao delegado: \"Então o senhor acha que a informação prestada pelo dr. Dairson [médico legista], de balas com calibres diferentes, não são corretas?\" Rodrigo respondeu: \"Eu não posso dizer, eu prefiro o laudo. Eu acredito que o dr. Dairson tenha todos os méritos no que falou, já viu muitas munições. Eu entendo isso, mas prefiro estar com o laudo em mãos, porque aí posso ter a conclusão.\"

Rodrigo disse que a munição parece ponto 40: \"Eu não vou negar que parece, mas não sou perito para dizer se é ou não é. Às vezes até uma pessoa que não é perito sabe o que é uma ponto 40. Agora eu particularmnte não sei. Estou esperando o resultado da balística. O que posso dizer éque foram efetuados seis disparo. Qual munição que matou, eu não sei.\"

Foi feito outro questionamento: \"Temos mais uma informação que dois tiros foram dados no abdôme. Mas esse tiro na cabeça, foi de cima para baixo. E não teria como, se estivessem brigando, ser dado o tiro de cima para baixo.\" O delegado respondeu: \"É justamente por isso mesmo que a gente espera a perícia. Ela vai dizer se é ou não é uma munição ponto 40 ou 38. O próprio perito já levantou isso no local. Existem todas essas possibilidades\".

O delegado disse à população: \"Independentemente disso, e agora quero falar com a população para que tenha noção do que passa na cabeça do delegado, da Justiça neste ponto. Não tira a culpa do Paulo de ter efetuado os disparos e no mínimo ter pretendido matar e ter dado causa a morte. Porque se o disparo foi de ponto 40, o disparo foi por um erro, pode ter sido por um erro do policial, que estava tentando impedir o Paulo de matar. Porque os dois tiros que atingiram, que nós temos grande certeza ser 38, esses tiros provavelmente causariam a morte do tenente. E a intenção do Paulo não foi em momento algum de atirar na perna. Quando o tenente chegou, ele desferiu dois tiros no tenente, ou seja, ele queria matar o tenente. Não tenho dúvidas disso. Agora, se o outro tiro contribuiu, se teve esse outro tiro, isso já é uma outra hipótese para a justiça trabalhar. O que eu tenho noção é que se foram dois ou três tiros do Paulo e a intenção dele era matar. Disso eu não tenho dúvida, vou fazer o relatório e vou encaminhar para o Poder Judiciário desta forma\".

O delegado disse que existem policiais e policiais. E fez questão de elogiar a conduta dos policiais que atenderam ocorrência. \"Posso dizer que sempre foram dois policiais exemplares\", concluiu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)