Cassilândia, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018

Últimas Notícias

07/12/2004 15:29

Carnes sofrem reajuste de até 72%

Acrissul

O consumidor foi atingido em cheio por reajustes nas carnes e outros produtos. Os primeiros sinais foram dados com a estiagem prolongada no inverno e agora se intensificam com as especulações do mercado com a chegada das festividades de final de ano. As geadas provocaram queima nas pastagens o que refletiu na baixa do rebanho, motivando a alta nos preços das carnes de um modo geral no mês de julho e agosto.

Agora, os empresários justificam os novos reajustes em razão do aumento nas exportações e ao velho fenômeno da oferta e procura, ou seja, a procura é maior que a demanda.

Segundo pesquisas realizadas pelo Caderno Consumidor da Gazeta do Paraná, a maioria das carnes bovinas, suínas é até de aves subiram em relação ao mês de outubro. Os cortes suínos foram os que mais apresentaram altas. A bisteca sem pele, por exemplo, foi a carne com maior reajuste dos 13 itens pesquisados, com 72% de aumento.

No início de outubro era possível comprá-la por R$ 4,60, hoje alguns supermercados vendem por R$ 7,89 o quilo. O leitão inteiro teve 58% de aumento no período pesquisado, assim como o pernil sem pele, também 58%, enquanto que o tradicional lombo comum das ceias de Natal teve alta de 55%.

Explicações

Segundo o supermercadista Daniel Pegoraro, com a diminuição na oferta no mercado nacional, além da grande procura, a alta torna-se normal. "Estamos comprando e pagando em média 10% mais caro pelos suínos, mas acredito que em janeiro o preço recue", diz.

Em relação à carne bovina o empresário analisa que, principalmente os cortes especiais, mais comuns durante as festividades, é que sofrem maior reajuste. "Os relacionados às festas tiveram alta em torno de 7 a 8%".

Porém as pesquisas revelam aumentos maiores como a picanha que registrou o maior aumento entre os cortes pesquisados, 34%; alcatra com osso 21%; alcatra sem osso 11%; contra-filé sem osso 11%; coxão mole 18%; posta vermelha 15% e traseiro com osso, 19%.

Pegoraro comenta ainda que os preços repassados ao consumidor final se dão também devido à mudança no sistema de ICMS. "Antes tínhamos um crédito maior que o débito, crédito de 12% e débito de 7%. Hoje temos um crédito que vai de 1% a 5% e o débito continua 7%. E isso conseqüentemente reflete no preço final", explica.

Para Marilene Arcanjo, dona de casa, os reajustes consecutivos são provenientes da época do ano e da política camuflada. "Quando dizem que não existe inflação é pura enganação, pois a prova maior está no supermercado, já não compramos mais nada com R$ 100, por exemplo. E no final do ano se aproveitam sabendo que vamos consumir", desabafa a dona de casa.

Outros aumentos

Nos últimos meses foi registrada alta em vários setores, começando pelo serviço de telefonia fixa, hortifrutigranjeiros, planos de saúde, gás de cozinha, diesel, álcool e gasolina que sofreram vários reajustes nos últimos meses e a expectativa da Petrobrás é de que os combustíveis ainda sofram mais um reajuste ainda este ano.

O tradicional peru e chester também chegam na mesa do consumidor com preços mais salgados, em média 10%, segundo Pegoraro. O frango também aumentou, entre as marcas pesquisadas as diferenças estão entre 33%, 21% e 14%.

Fonte: Gazeta do Paraná

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)