Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/02/2008 07:03

Carnaval começou como festa de elite, diz professora

Kelly Oliveira /ABr

Brasília - Dos bailes de elite às manifestações populares - essa é a trajetória do carnaval, que surgiu no Brasil por volta de 1830. Segundo a professora do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense Rachel Soihet, antes desse período, a população se divertia, no início de fevereiro, com o entrudo, uma brincadeira de origem portuguesa e espanhola que consistia em jogar água e pó uns nos outros.

“Todo mundo brincava. Diz-se, inclusive, que o imperador gostava muito”, afirmou a professora, em entrevista à Rádio Nacional.

Entretanto, depois da chegada da família real portuguesa e da Independência do país, as idéias francesas ganharam o Brasil. “E começa-se a achar que aquele carnaval [a brincadeira do entrudo] era uma coisa atrasada. Precisava importar alguma coisa civilizada como se fazia na França”.


Daí surgiram "os bailes, os carros alegóricos, confetes e serpentinas", disse Rachel. “Isso era uma forma de mostrar que, até na festa, o Rio [de Janeiro] atingia ares civilizados. O carnaval começou como uma festa de elite.”

Os populares, principalmente os negros, que começaram a levar suas manifestações às ruas, eram mal vistos e reprimidos pela polícia. “Com os tamborins, instrumentos de percussão, formaram os primeiro blocos. No princípio, eles eram muito mal vistos”, acrescentou a professora.

Até 1930, a maioria dos brasileiros não votava e não havia participação popular na República. Então, as festas populares foram uma forma de estabelecer uma identidade, como explicou a professora. “Apesar de toda a repressão, eles vão se manter. A gente vai ter uma série de manifestações, blocos, cordões e, depois, os ranchos, que começam a ser mais bem vistos. As escolas de samba só surgem no final dos anos 20”.

Com a Revolução de 30, as manifestações populares começam a ser valorizadas. “Para isso, contribuíram bastante as idéias modernistas, que diziam que a base da nação está no povo”, disse a professora.

Nos anos 50, surgem os primeiros carnavalescos, como Fernando Pamplona, da Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro, e as manifestações populares vão aos poucos se sofisticando. “A escola de samba vai se apropriando de elementos de manifestações anteriores que seriam da elite, como os carros das grandes sociedades. Esses carros alegóricos que a gente hoje vê nos desfiles são importados das grandes sociedades. Mas isso não significa que os populares estão fora dessa festa.”


“Hoje o Carnaval é uma festa de todo mundo”, concluiu Rachel Soihet.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)