Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/11/2010 14:48

Capital vota lei sobre máquinas de camisinhas em escolas

MS Notícias

A polêmica que gira em torno da iniciativa do Governo Federal de implantar máquinas dispensadoras de camisinhas em todas as escolas da rede pública do país, volta à pauta de discussões na Câmara Municipal de Campo Grande, na próxima terça-feira dia 23. Os vereadores votam na sessão ordinária, em turno único de discussão o Projeto de Lei Complementar nº 276/10, de autoria dos vereadores Paulo Siufi (PMDB), Herculano Borges (PSC) e João Rocha (PSDB), que veda a instalação de máquinas dispensadoras de preservativos, em órgãos municipais, bem como, na Rede Pública e particular de ensino do município de Campo Grande.

O tema já foi avaliado por meio de enquete realiza no site institucional da Câmara Municipal de Campo Grande, e avaliou a opinião dos internautas questionando o seu posicionamento com relação à instalação da máquina de camisinhas nas escolas. A adesão à proposta dos vereadores foi maciça. A enquete registrou 94% dos internautas contra as máquinas e apenas 6% a favor da proposta do Governo Federal.

Setores ligados a trabalhos que envolvem infância e adolescência, na Capital, descredenciam a ideia, que é de responsabilidade do Programa DST e Aids, do Ministério da Saúde e são unânimes em dizer que a ação desrespeita o Estatuto da Criança e do Adolescente, ora vigente em âmbito nacional. “Embora, o Governo tenha tido a melhor das intenções, infelizmente essa não é a melhor maneira de promover a educação sexual dos nossos adolescentes. A criança e o adolescente necessitam de uma educação com qualidade, de gozar de melhores condições de higiene e saúde, de incentivo a cultura, ao esporte. Na minha opinião, a implantação de máquinas de camisinhas irá causar um desequilíbrio total e incentivar ainda mais a libertinagem, ou seja o sexo por sexo”, considerou o diretor presidente do Instituto de Ação Social de Desenvolvimento Educacional e Cultura O Giro 380, Luiz Carlos Santana.

Na época a coordenadora da Pastoral da Criança, da Arquidiocese de Campo Grande, Rita de Cássia Vieira, disse que esse tipo de ação contribui para a indução da promiscuidade entre os adolescentes. “Honramos a igreja católica, que é contra a camisinha, a contraceptivos. Na visão da igreja católica, esse tipo de modernidade não devemos apoiar, temos de impedir que seja despertado esse tipo de interesse”, disse Rita de Cássia.

De acordo com Paulo Siufi, a implantação das máquinas de camisinhas banaliza e provoca a sexualidade precoce. Para Siufi, a Capital necessita de ações que sejam voltadas para humanizar todos os setores da sociedade, e não de iniciativas que segundo o parlamentar, acabam vulgarizando todo um contesto social e familiar.

Em tempo – O projeto do Governo Federal não tem como objeto apenas a máquina dispensadora de camisinhas. Como complemento há uma cartilha, denominada: “O Caderno das Coisas Importantes”, disponível em: http://www.unicef.org/brazil/pt/O_Caderno_das_Coisas_Importantes.pdf, que em suas página tem questões que vão além da educação sexual.

Em uma de suas páginas, por exemplo, há uma explicação sobre “ficar”, dizendo o seguinte: “Uma ficada pode ser uma porção de coisas. Beijar, namorar, sair, transar...”. Na sequência, segue uma orientação: “Relate aí embaixo as mais espetaculares ficadas da história. Ou, pelo menos, da sua história”, dizendo como foi, com quem foi, onde foi e quando foi.

Serviço – A sessão ordinária de terça-feira (23) será realizada, a partir das 9 horas, no Plenário Oliva Enciso, na sede da Casa de Leis, localizada na Avenida Ricardo Brandão, nº 1.600, bairro Jatiuka Park.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)