Cassilândia, Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020

Últimas Notícias

10/12/2016 11:02

Capital pode ficar sem verba por não adotar prontuário eletrônico

Christiane Reis e Adriano Fernandes, Campo Grande News

Campo Grande ainda não cumpriu a Portaria 2.488, de 2011, do Ministério da Saúde, que permite acompanhamento do histórico do paciente e investimentos dos recursos do SUS (Sistema Único de Saúde), por meio do chamado prontuário eletrônico interligado ao Ministério. A portaria condiciona a implantação do sistema a recursos do Piso de Atenção Básica (PAB) variável, repassados aos municípios mensalmente para custeio dos procedimentos na atenção básica.

O prazo para que todos os postos de saúde do País implantassem o sistema finda neste sábado (10). Nesta sexta-feira (9), a reportagem constatou que na Capital a implantação ainda não ocorreu. Nas unidades visitadas, os funcionários, que prefeririam não se identificar, disseram que existe um sistema de informações que é municipal e até onde têm conhecimento ele não está interligado ao Ministério da Saúde.


“Já temos há bastante um sistema onde conseguimos consultar as informações do paciente, mas ele é municipal. Com o Ministério da Saúde ainda não foi implantado”, disse uma das funcionárias de UBS na região Sul da cidade.


Em outra unidade, os funcionários nem sabem exatamente do que se trata. “ Isso deve ser algo apenas para município pequeno, porque aqui o que temos não é interligado ao Ministério não”, disse um funcionário. Fonte ligada a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) disse que há informações sobre a implantação de um sistema interligado com o Ministério. “Existe a previsão, mas até agora nada, aqui não temos conhecimento”, disse outra funcionária.


A reportagem tentou contato com o secretário Municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, para obter detalhes sobre a implantação do Sistema, mas não obteve retornou até a conclusão deste texto. O Ministério da Saúde também não informou quanto já foi investido em Campo Grande para implantação do sistema. Em lista préviao daqueles que já implantaram, a Capital não aparece. Um levantamento completo deve ser divulgado durante a próxima sema
Portaria - A utilização do prontuário eletrônico é uma das iniciativas para permitir ao Ministério da Saúde verificar online como está sendo investido cada real do SUS na saúde do brasileiro. A plataforma digital permite o acompanhamento do histórico médico do paciente em todas as UBS, oferecendo ganho na qualidade e na gestão da Atenção Básica para o gestor, para os profissionais de saúde e para o cidadão.


Segundo o Ministério da Saúde, até outubro deste ano 1.920 municípios já utilizavam o sistema em suas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Das 41.688 UBS em funcionamento em 5.506 municípios, 10.134 (106,98 milhões de pessoas) já têm o Prontuário Eletrônico, sendo que 2.902 utilizam versões oferecidas gratuitamente pelo Ministério da Saúde, e 7.232 softwares próprios e privados.


O Ministério da Saúde oferece plataforma gratuita, mas o envio dos dados também pode ser feito pelos municípios por sistema próprio. Após o período para implantação das plataformas, o pagamento do PAB Variável às prefeituras, equivalente a R$ 10 bilhões por ano, ficará condicionado à implantação do prontuário eletrônico. Esse recurso é aplicado no custeio dos atendimentos de pediatria e vinculados a programas como Saúde da Família, Brasil Sorridente, entre outros.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 23 de Novembro de 2020
Domingo, 22 de Novembro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)