Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/09/2005 08:41

Câncer: Vulnerabilidade social deve ser levada em conta

Agência Notisa

Além dos danos físicos e psicológicos, câncer agrava situação econômica de pacientes, que não possuem qualquer proteção social e são, em muitos casos, chefes de família.



Estimativas apontam o câncer de colo de útero como o terceiro mais comum entre as mulheres e como a quarta causa de óbitos por câncer nesse grupo. Segundo Célia Ulysses, assistente social do INCA-RJ, em geral, a mulher acometida por esse tipo de câncer tem um nível de escolaridade elementar, qualificação e rendimento baixos, vínculo empregatício precário sem qualquer proteção social, além de habitação e alimentação precárias. “Ao se falar de câncer de colo de útero, não se pode deixar de falar do processo de adoecimento e da situação de extrema vulnerabilidade social que se encontra este paciente”, defendeu ela durante a 3ª Jornada de Ginecologia Oncológica, realizada no Rio de Janeiro e que se encerra nesta sexta-feira.



Em sua palestra “Repercussões sociais do câncer de colo de útero”, Célia enfatizou o impacto da doença na vida dessa mulher que, em geral, tardiamente, descobre que possui um tumor. Segundo ela, a doença e o tratamento podem comprometer a vida sexual da paciente — por motivos objetivos ou subjetivos —, sua saúde reprodutiva, as relações familiares e, principalmente, as condições materiais: na maioria dos casos ela contribui de maneira importante para a renda da casa, sendo muitas vezes a chefe de família.



Célia explicou que além da paciente perder o seu papel de cuidadora da família, culturalmente atribuído à mulher, ela como indivíduo encontra dificuldades em retomar seu trabalho, conseguir novo emprego, e muitas vezes dificulta as atividades desenvolvidas por outros parentes, na medida em que passa a necessitar de cuidados. “A vulnerabilidade social dessas mulheres se agrava com a doença”, alertou.



Na opinião de Célia, informações limitadas sobre saúde nesse grupo é um dos principais problemas enfrentados. “Esse fator faz com que essa mulher só busque assistência quando o câncer já está em fase avançado”, lamentou. Ela ainda chamou a atenção para a baixa capacidade de assimilar informações sobre cuidados em geral e a grande dificuldade em acessar os serviços públicos destas pacientes. Para ela, é fundamental que o tratamento envolva uma equipe multidisciplinar que busque compreender os aspectos que envolvem o processo de adoecimento do paciente. “Devemos buscar desenvolver ações que dêem conta de identificar as mudanças mais significativas no cotidiano de vida das mulheres. Só assim poderemos prestar uma assistência de qualidade”, ressaltou.



Agência Notisa (jornalismo científico – science journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)