Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/11/2007 15:44

Campanha em 11 cidades alerta para os riscos da hepatite

Gláucia Gomes/ABr

Brasília - As Sociedades Brasileiras de Infectologia, de Hepatologia e Medicina Tropical estão mobilizadas hoje (10) em vários estados para alertar a população sobre os riscos da hepatite B. Onze cidades – São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Belém, Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Recife e Florianópolis – promoverão atividades de conscientização e realização de exames de sangue gratuitos na população.

De acordo com dados dessas sociedades médicas, a doença é provocada por vírus e hoje atinge três vezes mais brasileiros que a aids.

A vacina, explicou a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), Izabella Ballalai, deixou de ser apenas para crianças e deve ser levada aos adolescentes e aos adultos, por ser "uma doença grave". E está disponível, "basta ir a uma sala de vacinação em postos de saúde."

O governo, acrescentou, em entrevista à Rádio Nacional da Amazônia, está estudando cinco vacinas para a inclusão de pelo menos uma delas no Programa Nacional de Imunizações. São as vacinas contra a hepatite A, a varicela ou catapora, a meningite pneumocócica e a meningocócica, e contra o HPV, vírus que pode causar câncer do colo do útero.

Segundo Izabela Ballalai, "muita gente se preocupa com a hepatite C e não sabe que a hepatite B pode ser tão grave: é uma das causas do câncer de fígado e da cirrose, e um problema sério na região amazônica".


Entre as doenças que ainda são ameaça à saúde pública, ela destacou a poliomielite, que ainda não atingiu 100% das crianças vacinadas; o sarampo, que para continuar controlado depende que o adulto procure os postos de saúde para se vacinar; e a rubéola congênita. Sobre esta, alertou que onde mulheres e crianças já foram vacinadas, é preciso que os homens também se vacinem. “Com a vacina tríplice viral, disponível nos postos de saúde, eles também se vacinarão contra o sarampo e a caxumba", lembrou.

O médico Raimundo Paraná, pesquisador e coordenador do Grupo de Estudos Brasil-França sobre Hepatite B, disse que esta doença já atinge 2 milhões de brasileiros. E explicou como pode ser transmitida: "Predomina a via sexual, mas pode ocorrer no parto, se a mãe é portadora do vírus, ou no compartilhamento de instrumentos cortantes e de higiene pessoal."

Ele alertou que doença não tem cura e que "o indivíduo pode permanecer com o vírus no organismo durante muito tempo, daí a necessidade de levar a informação a população”.

A quantidade de pessoas contaminadas pelas hepatites virais, tanto a tipo B quanto a tipo C no Brasil, segundo o médico, é muito superior à de pessoas contaminadas pelo HIV. E "o número de mortes direta ou indiretamente associadas às hepatites virais no mundo todo também é superior ao de mortes causadas pelo HIV, sobretudo na atualidade quando o HIV tem tratamento que permite uma vida longa e de qualidade ao paciente”.

No país, segundo o médico, as áreas mais afetadas são os estados de Roraima, parte do estado do Amazonas, Acre e Rondônia. Ele destacou a importância do diagnóstico precoce, não só para identificar a necessidade de tratamento quando a doença está ativa, mas também para rastrear precocemente o aparecimento de tumores no fígado.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)