Cassilândia, Domingo, 20 de Maio de 2018

Últimas Notícias

22/06/2009 18:28

Calvície é genética, mas existem outras poucas causas

Agência Notisa

Especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia afirma que o problema está ligado a mudanças hormonais e é difícil de ser tratado.



A calvície é um quadro que afeta muitos idosos e, segundo a dermatologista Cláudia Maia, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, “é um problema praticamente inevitável, do ponto de vista puramente genético. Ela explica que não existem muitas maneiras de evitar o quadro, que é caracterizado por fatores genéticos e hormonais específicos”.



Para Cláudia, não há hábitos que possam influenciar no desenvolvimento da calvície. Ela afirma que nenhuma dieta – dentro dos padrões de uma dieta mediana - pode afetar efetivamente a perda dos cabelos, tampouco rotinas ‘especiais’. “A calvície, ou alopecia androgenética, é um problema causado primeiramente por fatores genéticos. Não há, atualmente, soluções para esse tipo de característica. Por outro lado, a predisposição genética cria padrões hormonais. Esses sim podem ser alterados, dentro de alguns limites. Por exemplo, existem tratamentos hormonais que podem reduzir a tendência para a calvície”.



A dermatologista argumenta que “ainda que o principal causador do problema seja de natureza genética, existem outras possibilidades”. Ela cita como exemplos a anemia, deficiências no couro cabeludo, sífilis e falta de ferro na alimentação. “Embora outros tipos de calvície sejam incomuns, eles existem. Um deles é a calvície em mulheres. Outro é a da calvície em sifilíticos, extremamente rara, mas possível”.



Conforme explica a especialista, a principal característica da calvície não é necessariamente a perda dos cabelos. Segundo ela, a perda dos cabelos é normal, e ocorre a vida toda. O que caracteriza o quadro da calvície é, no entanto, a substituição destes cabelos perdidos por pêlos pequenos e finos. Isso cria o aspecto da cabeça careca: ainda tem ‘cabelos’, mas estes novos fios são quase imperceptíveis.



Cláudia afirma que existem tratamentos que podem auxiliar no combate ao problema. “Um deles é a administração de um fármaco que age inibindo a enzima 5 alfa redutase, que é a enzima responsável pela transformação do hormônio testosterona na dihidrotestosterona, responsável pela calvície. Mas, fora os tratamentos clínicos, não há solução para o fato”, diz.






Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 20 de Maio de 2018
Sábado, 19 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Sexta, 18 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)