Cassilândia, Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

02/03/2010 17:09

Cacique do Ar: a sua história contada por Manoel Afonso

Manoel Afonso

Artigo publicado no Cassilandianews no dia 27 de Julho de 2004



Cine Maracanã: o público delirava com Tarzan enfrentando crocodilos; com o jeitão atrapalhado do Mazaroppi; com as chanchadas do Oscarito e Grande Otelo: com a pontaria do John Wayne e o talento de outros ídolos de uma época ingênua e romântica. Para a cidade pequena, o cinema, localizado nos fundos do bar do Deodato, onde hoje é o”Porteirão”, bastava. De propriedade do Donato e do Acy Barbosa Sandoval (Balofo), foi inaugurado em 1960, e tinha gerador próprio de energia, com o Quarentinha (falecido ano passado em Goiânia) sendo o operador do projetor. A praça era de grama e chão batido, onde jogava-se futebol; o prefeito João Albino, o governador João Ponce de Arruda e o presidente JK. Foi ano de eleições: eleitos Fernando Correia e Jânio Quadros. Era ali o ponto de encontro da juventude, onde se discutia futebol e se paquerava, com os rapazes tendo direito a brilhantina, calça de linho impecável e camisa “volta ao mundo”. As moças – de saia plissada bem abaixo do joelho. Mini-saia nem pensar! A energia elétrica da cidade era fornecida pelo Chico da Luz desde 1953, que cobrava pelo número de “bicos” do consumidor.
Imaginem a juventude dourada da época, sem grandes opções de lazer, ouvindo as músicas do serviço de auto falante do cine Maracanã: Nelson Gonçalves, Altemar Dutra, Agnaldo Timóteo, Angela Maria, Nilton Cesar,Teixerinha, Roberto Carlos e Wanderleia, entre outros. Pois é, esse som existia graças a iniciativa dos inseparáveis Zé Ancelmo e Hugo Silva – que anunciavam a programação cinematográfica e veiculavam anúncios do comercio local. Os locutores, é claro, eram os dois.
Mas com o crescimento da cidade, o cine Maracanã deu lugar ao Cine Alvorada, ( atual Malule), construído pelo Donato e inaugurado em 13 de junho de 1964: um prédio imponente, e o serviço de auto falante foi para um prédio alugado em frente a praça, funcionando em dois períodos: de manha (Hugo) e à tarde (Zé). Conta-nos Zé Ancelmo que a cidade parava ao ouvir “A Ave Maria”, que antecedia ao anúncio de falecimento Anote-se que a “empresa” ganhou nova e definitiva denominação: “Cacique do Ar”. Nesta época, Orfeu Cardoso (o Miguin), filho do Salvador Cardoso estreou como locutor e depois substituiu Quarentinha como operador do projetor no cinema.
Mas com o ingresso de Zé Ancelmo na Secretaria da Fazenda, o serviço de auto falante acabou vendido para Lauro Souza, dinâmico , que promoveu o teatro, concurso de cantores, e outros eventos que congregavam o melhor da juventude estudantil e da sociedade. Aliás, logo quando eu e o Girotto chegamos à cidade, em 1974, participamos como jurados destes eventos nas manhãs dominicais. Foi ele que incentivou a fundação do “GEMA”, e foi seu primeiro presidente e responsável pela construção da primeira quadra de esportes da cidade. Uma glória para a época. O “Cacique” era o porta-voz da cidade, nos momentos de alegria e de dor. Se a população – que não via ainda a televisão – tinha apenas nas emissoras de rádio de São Paulo as fontes de informações e entretenimento, o “Cacique” cumpria e bem seu papel naquele contexto social.
Lauro Souza resistiu bravamente com o “Cacique do Ar” até a inauguração da Rádio Patriarca em 3 novembro de 1.984, sendo o locutor oficial da cidade, na recepção às autoridades, nos comícios e outros acontecimentos que exigiam um profissional de excelente voz. Podia-se até discordar dos bordões ufanistas ou do excesso de entusiasmo do Lauro nos comícios, mas não se pode negar sua competência e vibração que vinha do fundo da alma. Esse o Lauro, cuja imagem ficou associada ao “Cacique do Ar”, a quem – rendemos aqui nossa homenagem, juntamente com o José Ancelmo e Hugo Silva . Por tudo que fez, Lauro é parte da história da cidade; ajudou a escrever capítulo importante e portanto não pode ser esquecido.
Fica o registro. E resta a saudade de um tempo que não volta mais.

(O autor é advogado e comentarista
da TV-Record-MS – C. Grande)


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)