Cassilândia, Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

Últimas Notícias

18/05/2017 11:00

Bursite no ombro pode ser sintoma de lesão mais grave

Gazeta Esportiva

 

De acordo com estudos recentes, cerca de 25% dos tenistas com menos de 20 anos sofrem de dores no ombro. Queixa muito comum entre os adeptos de atividades esportivas, a bursite no ombro é uma condição cuja nomenclatura se refere à bursa subacromial, uma estrutura que se localiza entre o tendão e o osso do membro.

“Atividades com movimentos acima do ombro, como tênis, natação e os esportes de arremesso, podem favorecer o surgimento da bursite, que é um processo inflamatório da bursa – uma espécie de bolsa presente em várias regiões do corpo. Em alguns locais, principalmente no ombro, elas podem inflamar e formar a bursite”, esclarece o Dr. Alexandre Bitar, ortopedista especialista em ombro do Instituto Vita.

Segundo ele, geralmente, a inflamação é gerada por uma sobrecarga no membro, por conta de um excesso de atividade ou alteração na postura – já que ela fica mais à frente, possibilitando que o tendão fique “batendo” no osso da articulação e a bursa (proteção do tendão) inflame. Além disso, traumas, geralmente em movimentos acima da altura do ombro, favorecem o surgimento da condição. Alguns pacientes podem, ainda, possuir a inflamação como um fator secundário ligado a doenças reumatológicas.

“É importante salientar que fazer um diagnóstico da bursite envolve, prioritariamente, avaliar os tendões em si e as estruturas do ombro. O tenista, por exemplo, além de ter a inflamação, pode apresentar também alterações no tendão resultantes de uma lesão. Portanto, a bursite, na verdade, pode ser um ‘sintoma’ de uma possível lesão que deve ser identificada rapidamente”, explica.

Para diagnosticar corretamente, o especialista analisa o histórico do paciente e realiza exames físicos para detectar em que lugar do ombro o paciente sente dor (a bursite, muitas vezes, consegue ser analisada precisamente). A ressonância também auxilia no diagnóstico, pois ela consegue detectar exatamente esse tipo de lesão. Além disso, levando em consideração que o paciente possa apresentar uma predisposição para o surgimento da inflamação, por conta da sua própria estrutura óssea, o médico solicitará uma radiografia.

“A bursite em si, normalmente, é tratada com fisioterapia. Os procedimentos cirúrgicos só são indicados quando há lesões por trás da condição inflamatória. Quando isso ocorre, a técnica utilizada é a artroscopia de ombro, um método minimamente invasivo, com microcâmeras e instrumentos inseridos na articulação que permitem visualizar não só o tendão lesionado, como também analisar as estruturas do local para recolocação adequada do tendão, em caso de rompimento, e para evitar novas lesões na região”, afirma.

Quando o tratamento é convencional, sem intervenção cirúrgica, a reabilitação física é essencial e é realizada em três fases. “A primeira fase da reabilitação tem como objetivo minimizar o processo inflamatório da bursite e diminuir a dor do paciente, por isso são utilizadas técnicas como laser, ultrassom, crioterapia, eletroterapia e terapias manuais, além de técnicas de mobilização e manipulação para ganho de amplitude do ombro. Já na segunda fase, os movimentos da escápula (um dos ossos do ombro) são o enfoque do tratamento, pois eles são a base do funcionamento do ombro. Em seguida visamos o fortalecimento de músculos estabilizadores da articulação, não deixando de reabilitar também outros músculos do membro. Por último, na terceira fase da reabilitação, nós preparamos o paciente para retornar às atividades esportivas e/ou à rotina diária”, finaliza Andreia Miana, fisioterapeuta do Instituto.

Fonte: Time Comunicação

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 20 de Outubro de 2017
Quinta, 19 de Outubro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 18 de Outubro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)