Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

05/09/2009 16:30

Brasileira casada com italiano nega crime

Luciana Lima, Agência Brasil

Fortaleza - “Se houvesse malícia, eu ficaria ao lado da minha filha. Não pensaria duas vezes em ficar ao lado dela”, disse à Agência Brasil a mãe da menina de 8 anos, cujo pai, um turista italiano, de 48 anos, está preso desde a última terça-feira (1º), em Fortaleza, suspeito de ter abusado sexualmente da criança. Os nomes da mulher, de 38 anos, e de seu marido não são divulgados para proteger a menina, como determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A mãe contou que estava na piscina da barraca Croco Beach com marido, a filha e mais outros dois casais de amigos e seus respectivos filhos. Segundo ela, o pai cuidava da menina dentro da água. “Não só meu marido e minha filha estavam na piscina. Estávamos todos na piscina. Ficamos lá por muito tempo. Ninguém nos abordou, ninguém nos advertiu, até o momento em que estávamos indo embora. Eles abordaram primeiro a minha filha e perguntaram quem era o homem que estava perto dela. Meu marido viu e foi perguntar o que estava acontecendo. Ele não fala português. Ele entende alguma coisa. Aí, não quiseram falar com ele, pediram apensas para que ele se identificasse”, contou.

Ela disse que foi ouvida informalmente na Delegacia de Combate á Exploração de Criança e Adolescente, que apura o caso. Para a mãe, o casal que denunciou seu marido interpretou mal a situação e pensou que era um dos muitos casos de prostituição infantil que se espalham hoje por toda orla de Fortaleza.

“A minha opinião é que eles confundiram, interpretaram mal. Em meio a tantos casos de abuso sexual que já aconteceram, eles [as testemunhas] viram um homem, estrangeiro, branco, com uma menina muito mais escura. Não tentaram se informar e nem saber quem era. Imaginaram logo que era um estrangeiro que estava tentando ficar com uma menina de 8 anos. A denúncia foi motivada por um pouco de preconceito. Eles imaginaram outra coisa. Eles não sabiam que ele era o pai dela”, disse a mãe.

Construtor e morador da cidade de Goidonia, localizada na província de Roma, o italiano passa férias com a família no Brasil desde que se casou. “Não perdemos o vínculo porque temos casa aqui e eu tenho irmãs aqui.”, contou a mulher. O pai não chegou a ser ouvido pela polícia de Fortaleza. Segundo o boletim de ocorrência, ele se limitou a dizer que só falaria em juízo. A policia não providenciou intérprete para que ele pudesse prestar depoimento, uma vez que não fala português. O italiano está preso em uma cela pequena, onde tem apenas um colchão e um ventilador levado pela família.

A mãe é casada com o italiano há 11 anos. Eles se conheceram na Itália, onde ela mora há 15 anos. “Sempre trabalhei lá como garçonete e naquilo que aparecesse. Nós nos casamos e meu marido esteve pela primeira vez no Brasil depois do nosso casamento. Tenho toda minha família que mora na Itália. Não fui eu a primeira a ir para a Itália. A primeira foi a minha mãe. Depois foi a minha vó, minha tia e meus irmãos”, disse.

Quanto às acusações feitas pelo casal de turistas de que o italiano teria dado dos beijos na filha e acariaciado suas partes íntimas, a mãe assegurou de que não são verdadeiras. “O que eu espero é que tudo seja esclarecido. Esclarecido realmente, porque eu tenho certeza que nada aconteceu. Quando eles se referem a um beijo na boca, era só um 'selinho'. Eu também saúdo a minha filha com um 'selinho'. Já em relação a acariciar a partes íntimas dela, não são verdadeiras, absolutamente. Ele poderia estar ajeitando o biquini dela, mas não tem nenhuma malícia.”


“Em nossa casa não há nada que possa indicar abuso. É uma menina serena, alegre. É uma menina de 8 anos. Ela é muito apegada ao pai e ele também com ela. Ela é filha única. Eu perdi outros três filhos. Dois nasceram prematuros e pouco antes de vir para o Brasil eu tive um aborto espontâneo. Acho que destruíram a nossa família”, completou.

O casal e a filha retornariam à Itália na última quarta-feira feira (2).







Edição: João Carlos Rodrigues

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)