Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

06/02/2004 13:52

Brasil registra 518 suspeitas de leptospirose em janeiro

Agência Brasil

O coordenador de doenças transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), Eduardo Hage, informou hoje que a chuva, seguida de alagamento e acúmulo de lixo, foi o principal fator responsável, somente no mês de janeiro, por 518 casos suspeitos de leptospirose. A doença é provocada pela mistura da urina do rato com as águas da chuva e pode ser transmitida pelo simples contato até mesmo com a lama contaminada.

Nesta época do ano, as fortes chuvas que provocaram alagamentos e enchentes em pelo menos 392 municípios brasileiros preocupam ainda mais as autoridades de saúde. No início da semana, o Ministério da Saúde anunciou o envio de 2,5 toneladas de “kits medicamentos” para 338 cidades dos 15 estados atingidos pelas chuvas e garantiu que custeará integralmente as internações hospitalares decorrentes das enchentes, inclusive com a ampliação de leitos de UTI.

“É necessário nesse momento uma boa organização da assistência, uma boa articulação de todas as áreas envolvidas para detecção precoce e encaminhamento de pacientes o mais prontamente possível”, alertou Eduardo Hage.

Cada unidade do kit é composta por 23 tipos de medicamentos – entre antibióticos, analgésicos, antitérmicos e antiparasitários, além de medicamentos contra doenças de pele e respiratórias. Nos kits também são adicionados sais para reidratação em caso de diarréias, soros fisiológico e glicosado, hipoclorito de sódio (produto usado para tratar a água destinada ao consumo humano) e insumos laboratoriais para a realização de testes de detecção de leptospirose. Cada kit é capaz de atender três mil pessoas, e o investimento aproximado na distribuição desses medicamentos será de R$ 56 mil.

Além da leptospirose, que costuma aparecer 20 dias após as enchentes, outras doenças podem ocorrer com freqüência em situações de alagamento. As principais são as doenças diarréicas e hepatites A e E, causadas pelo consumo de água contaminada, e doenças respiratórias como gripe, pneumonia bacteriana e meningites virais.

Para evitar qualquer dano à saúde, o coordenador de doenças transmissíveis orienta que, na medida do possível, as pessoas evitem o contato com águas de enchentes. “Quando houver necessidade de ter contato com água é necessário usar vestimentas adequadas, como botas, que possam evitar esse contato com a pele. Também é importante procurar beber água filtrada, fervida ou mineral e utilizar quando necessário o hipoclorito de sódio para diminuir a possibilidade de contaminação da água”.

As casas alagadas também devem ser limpas com água sanitária.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)