Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

25/10/2008 18:09

Brasil quer reduzir número de crianças sem registro

Lisiane Wandscheer /ABr

Brasília - O Dia Nacional de Mobilização pelo Registro Civil é comemorado hoje (25). Cerca de 400 mil crianças nascidas em 2006, não haviam sido registradas até o primeiro trimestre de 2007. Para começar a mudar esse quadro, o governo federal pretender reduzir para 5% a taxa de crianças sem registro no país.

Como parte da estratégia do governo para diminuir o número de crianças sem registro, a Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) da Presidência da República e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) promovem de 17 a 21 de novembro a Semana Nacional de Registro Civil, quando serão emitidas gratuitamente certidões de nascimentos. O evento não foi promovido neste final de outubro por causa da realização do segundo turno das eleições municipais.

As causas mais comuns da falta de registro são a dificuldade de acesso aos cartórios e o desconhecimento das leis por parte dos pais. A assessora de Direitos da Criança, da organização não-governamental Plan Brasil, Irismar Santana, explica que muitos pais acham que as crianças não precisam de qualquer documentação até estarem em idade escolar.

“Apesar de ter havido um avanço, nos últimos dez anos, muitos ainda fazem o registro tardio de seus filhos. Essas crianças, além de não terem direito a qualquer assistência pública, são as grandes vítimas de tráfico e do trabalho infantil. O registro é o passe para a cidadania”, diz Irismar.


Os números se distribuem de maneira diferenciada no país. Os piores percentuais são observados nas regiões Norte e Nordeste.


A certidão de nascimento é um direito estabelecido no Artigo 7 da Convenção sobre os Direitos da Criança, ratificada pelo Brasil em 24 de setembro de 1990. O texto assegura que “a criança será registrada imediatamente após seu nascimento e terá direito, desde o momento em que nasce, a um nome, a uma nacionalidade e, na medida do possível, a conhecer seus pais e a ser cuidada por eles”. No Brasil, o registro civil também é um direito assegurado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Com a promulgação da Lei 9.534/97 foi extinta a cobrança da taxa para emissão do registro de nascimento. De acordo com a especialista da Unicef Jane Santos a isenção do pagamento da certidão até os doze anos contribuiu bastante com a melhora da situação nacional, mas ainda há muito trabalho a ser feito.

A presidente da Associação Pernambucana de Mães Solteiras (Apemas), Marli Márcia da Silva, relata que muitas mulheres não registram seus filhos por falta do reconhecimento do pai. “Como foram abandonadas pelo homem, elas têm medo de fazer o registro como mãe solteira e depois o pai não querer reconhecer a paternidade. Além disso, muitas são intimidadas nos próprios cartórios”.

Integrante da Apemas, Liane Maria da Conceição, 48 anos, tem oito filhos. Ela conta que dos oito sete têm certidão de nascimento. Álvaro, seu filho de 16 anos, entretanto, nunca foi registrado e enfrenta, hoje, um grande problema com a sua documentação. “Quando o Álvaro tinha seis anos eu coloquei ele na escola com a carteira de vacinação, mas agora não aceitam mais. Preciso matriculá-lo na escola, mas não posso. Para ter o registro, ele precisa fazer exames para comprovar a identidade e até entregar um comprovante de batismo”, reclama Liane.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)