Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/05/2008 10:07

Brasil pode ter mais casos de câncer de próstata

Daniel Lima/ABr

Brasília - O Brasil pode ter mais casos de câncer de próstata do que mostram as estatísticas oficias, na opinião do presidente da Sociedade Brasileira de Urulogia, José Carlos de Almeida, em entrevista à Rádio Nacional. O Instituto Nacional do Câncer estima que haverá 49.530 novos casos das doença neste ano, mas Almeida considera a quantidade subavaliada.

"Nos Estados Unidos, onde existe um controle muito grande da doença há cerca de 100 anos, com avaliação periódica ano a ano, são quase 150 mil novos casos por ano. O Brasil tem essa essa cifra de 49 mil, mas pode ser mais", disse. Segundo ele, existe um problema grave de notificação no país.

Durante dois dias reuniram-se em Brasília quase 60 profissionais médicos urologistas para discutir o assunto e elaborar um documento para ajudar a delinear a Política Nacional de Saúde do Homem, que deverá ser lançada em agosto pelo Ministério da Saúde.

Ao fazer um balanço da iniciativa, Almeida destacou a importância da urologia, por ser a especialidade médica mais procurada pelo homem, que busca tratamento para problemas de disfunção erétil e urinários. A sexualidade masculina, o câncer de pênis e outras doenças ligadas a áreas como a cardiologia, psiquiatria e gastroenterologia também estavam em pauta.

"Isso para melhorar a assistência em um país heterogêneo, com dificuldades materiais e humanas para fazer frente aos problemas enfrentados pelo homem brasileiro", disse.

Um dos grande problemas na detecção da câncer do próstata decorre de questões culturais, já que o homem brasileiro que tem preconceito e desconhece a importância do exame, chamado de toque retal. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia o exame é o mais importante, devido à confiabilidade e ao baixo custo. Outro exame importante é teste do antígeno prostático (PSA) , feito em laboratório através da coleta de sangue, que deve estar associado ao toque retal.

"Há muito tabu e desinformação sobre o exame do toque retal. É um exame rápido e objetivo. O especialista quando toque a protáta ele sabe se existe um tumor nódulo endurecido e se é um câncer.", informou.

O médico alertou que quem teve pai ou irmão com a doença deve começar a fazer os exames anualmente a partir dos 40 anos. Caso não exista histórico familiar da doença, os exames podem ser iniciados aos 45 anos de idade.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)