Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

19/01/2005 15:45

Brasil lidera mercado mundial de carne bovina

Marli Moreira/ABr

Pelo segundo ano consecutivo, o Brasil liderou o mercado mundial de carne bovina. Em 2004, o país exportou 1,939 milhão de toneladas, 62,76% a mais do que em 2003, com faturamento de US$ 2,45 bilhões e crescimento de 42,31% na comparação com o período anterior.

"Esse foi um resultado muito bom", na opinião do presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Marcus Vinícius Pratini de Moraes. Ele atribuiu o desempenho à conquista de 40 mercados, que elevaram o total de países compradores para 142. Entre os novos mercados da carne brasileira estão Argélia, Egito, Bulgária, Romênia e Venezuela.

A Rússia continua sendo o maior importador, seguida por Holanda, Chile, Egito, Itália, Inglaterra, Irã, Espanha e Arábia Saudita. O grande desafio para 2005, segundo Pratini de Moraes, será buscar melhores preços, agregando valor ao produto, aumentando o marketing e explorando novos nichos de mercado. De um total de 1,939 milhão de toneladas embarcadas paro o exterior, 579.245 foram de produtos industrializados (em forma de carne cozida) e o restante, in natura.

Segundo a Abef, o Brasil exporta hoje de 22% a 23% de sua produção e pode ampliá-la, sem queda na oferta interna, pois o setor tem grande capacidade produtiva e responde rapidamente à procura. "O produtor brasileiro tem abatido os animais cada vez mais cedo e, em alguns casos, com até 18 meses", informou Pratini de Moraes.

Sobre o embargo russo à carne brasileira, ainda em vigor, Pratini de Moraes disse que não causou impacto no faturamento. Quando a medida foi anunciada, no final do mês de setembro, os lotes de mercadorias a serem enviados já tinham sido contratados. Além disso, à exceção de Cuba, nenhum outro mercado seguiu nesta direção.

Em dezembro, o Chile foi a nação que mais importou carne bovina in natura do Brasil, com 11.937 toneladas. O maior aumento nas encomendas foi do Irã e da República Islâmica, países onde que o consumo aumentou 966,62%, somando 10,2 mil toneladas. De acordo com Pratini de Moraes, pelas próprias convicções religiosas desses povos, a preferência recai sobre os cortes mais nobres e, conseqüentemente, com possibilidade de melhor retorno financeiro.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)