Cassilândia, Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

13/12/2004 14:32

Brasil é o maior exportador de carnes

Famasul Noticias

Baixos custos alavancam exportações, que devem continuar crescendo nos próximos anos. O Brasil se consolidou como maior exportador mundial de carnes em 2004. Os frigoríficos e abatedouros de frangos, bois e suínos vão exportar 4,2 milhões de toneladas neste ano, volume 23% maior que o apurado no em 2003. O resultado brasileiro é muito superior ao da União Européia (UE), segunda colocada no ranking. Em 2004, a Europa deverá embarcar 2,4 milhões de toneladas de carnes. Até o final deste ano, as indústrias brasileiras terão comercializado com o exterior US$ 5,8 bilhões, o que representa um acréscimo de 42% em relação ao resultado do ano passado.

A liderança brasileira vem sendo conquistada nos últimos anos. Em 2004, o Brasil deve se tornar maior exportador de frangos em volume e em receita, superando os EUA pela primeira vez na história. Nas carnes bovinas, o País já ultrapassou a Austrália em volumes embarcados. No ranking das carnes suínas, o Brasil ocupa o quarto lugar.

O bom desempenho do setor em 2004 deve-se, principalmente, às exportações de frango. No ano, as divisas vão ficar em US$ 2,5 bilhões, montante 40% maior que o apurado em 2003. Em volume, o crescimento deve ser de 22%, para 2,4 milhões de toneladas. Com esse crescimento, em maio deste ano o Brasil superou os Estados Unidos em receita e em volume de vendas. No ano passado, o País já havia conquistado a liderança em faturamento. "Parte desse desempenho deve-se ao fato de os Estados Unidos terem enfrentado problemas sanitários em 2004", diz o diretor-executivo da Associação Brasileira dos Exportadores de Frangos (Abef), Cláudio Martins. Entre os problemas sanitários, o maior deles foi o surgimento de um foco de influenza aviária nos EUA.

Christophe Malik Akli, diretor-geral da Doux Frangosul, acredita que o sucesso brasileiro é decorrente do foco das indústrias no mercado exterior. "O Brasil achou um nicho específico, buscou um diferencial", afirma Akli. Assim como seus concorrentes, a Doux Frangosul exportou grandes volumes em 2004, o correspondente a cerca de 80% da produção.

"O desempenho extraordinário de 2004 é resultado do crescimento da economia mundial e também dos problemas sanitários de nossos concorrentes", diz Paulo Molinari, analista da Safras & Mercado. Opinião semelhante tem o coordenador-geral de Apoio à Comercialização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eliezer Lopes, que acrescenta como fatores determinantes a qualidade e sanidade da carne brasileira, a competitividade e o marketing agressivo. Com o caso de "vaca louca" na América do Norte, o Brasil ampliou as vendas de carne bovina para a Rússia, Chile, Holanda, Egito, Itália, Alemanha, Irã, Hong Cong e Argélia.

Preços internacionais

"Os preços médios na exportação subiram e aumentamos os destinos, chegando a 130 países", diz André Skirmunt, diretor-comercial do frigorifico Independência Alimentos. No ano, a empresa aumentou de 70% para 80% a participação das vendas externas na produção. Skirmunt acrescenta que, com as exportações, o preço do boi gordo se manteve firme em 2004. De janeiro a novembro, as vendas externas de carne bovina "in natura" somaram US$ 1,8 bilhão, ou 849 mil toneladas. O resultado representou aumento de 74,3% em receita e de 50% em volume.

De janeiro a novembro, as vendas de suínos "in natura" alcançaram US$ 665 milhões, o equivalente a 429 mil toneladas. A redução de 1% no volume é fruto do embargo russo imposto às carnes brasileira em setembro, em razão do caso de aftosa no Amazonas. Apesar disso, para o diretor-presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Suínos (Abipecs), Pedro de Camargo Neto, o bom desempenho do Brasil é resultado dos avanços sanitários recentes. "Há 10 anos, por exemplo, o País não exportava carne bovina", diz.



Autor:
Gazeta Mercantil

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Novembro de 2017
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)