Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/05/2005 14:22

Brasil é o 57º país mais globalizado e EUA, o 4º

A edição de 2005 do Índice de Globalização, publicado pela A.T. Kearney e pela revista Foreign Policy, mostrou que pela primeira vez os Estados Unidos aparecem entre as cinco nações mais globalizadas do mundo, subindo de sétimo para quarto lugar. O Brasil vem perdendo posições e, nesta edição, aparece em 57ºlugar no ranking, com queda de quatro posições em relação a 2004. Em primeiro lugar aparece Cingapura, desbancando a Irlanda, que havia permanecido na posição de liderança durante três anos seguidos.

O panorama mostrado nas primeiras posições do índice, segundo os organizadores, é resultado de um maior engajamento político e de fortes relacionamentos construídos com base em comércio exterior.

Apesar de seus relacionamentos políticos e econômicos com o resto do mundo serem considerados fracos, os Estados Unidos melhoraram sua posição em função de sua forte tecnologia. O país aparece em primeiro lugar em número de usuários de Internet e servidores seguros.

A Rússia, por outro lado, teve uma das maiores quedas, caindo oito pontos, para a 50ª entre os 62 países que compõem o índice. A importância do comércio exterior na composição do Produto Interno Bruto (PIB) desse país, cuja economia depende fortemente do petróleo, continuou a cair. O Irã foi o último colocado pelo quinto ano consecutivo.

Segundo os organizadores do estudo, a globalização se mostrou um fenômeno bastante robusto no ano de 2003, o último para o qual existem estatísticas completas. O comércio global cresceu mais do que 5%, os níveis os níveis de apoio ao desenvolvimento atingiram o nível recorde de US$ 69 bilhões, apesar de novas tensões oriundas da guerra no Iraque, do colapso das discussões da Organização Mundial do Comércio e da epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars).

O Índice de Globalização publicado pela A.T. Kearney e pela revista Foreign Policy procura medir, de forma empírica, a globalização e seu impacto no mundo. O índice mede a integração econômica, inter-pessoal, política e tecnológica de 62 países que, juntos, representam 96% do PIB bruto global e 85% da população mundial.

Além desses aspectos, o índice de 2005 explorou também o relacionamento entre o nível de integração global e os índices de educação, liberdade política, corrupção e suscetibilidade ao terrorismo.

O estudo concluiu que na América Latina o nível de integração aumentou, mas ainda continuou baixo. Os fluxos de investimento direto na região caíram mais de 20% desde 2002, apesar de ganhos registrados nas menores economias, como Chile, Panamá e Venezuela, onde houve uma retomada depois de 2002.

''A América Latina aproveitou a depreciação do peso argentino e do real brasileiro. As exportações cresceram gerando o primeiro superávit primário em 50 anos (ajudado em parte pelo volume menor de importações). Em termos de integração tecnológica, a América Latina ainda está atrás de outras regiões emergentes, mas alguns países mostram um crescimento no número de sítios de Internet, com taxas de crescimento de 50% ou mais na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Peru'', disse um trecho do documento.

De acordo com o estudo, Cingapura subiu para primeiro lugar no ranking deste ano devido ao seu maior engajamento político e de fortes relacionamentos, construídos com base em comércio exterior. A ajuda financeira dada por Cingapura às missões de paz da ONU aumentou 41% e, em 2003, Cingapura se transformou na primeira nação asiática a assinar um acordo de comércio bilateral com os Estados Unidos.

Os Estados Unidos subiram de classificação devido ao aumento no número de sites de hospedagem de Internet e servidores seguros, fatores que permitem e facilitam maior integração tecnológica. Por outro lado, o país se mostrou muito menos aberto na área econômica, de comércio exterior e em investimento direto, devido ao seu grande mercado doméstico. Em termos políticos e diplomáticos, os Estados Unidos aparece em 57º lugar entre as 62 empresas devido aos tratados internacionais dos quais faz parte.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)