Cassilândia, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

Últimas Notícias

01/03/2010 17:53

Brasil deve se tornar ainda este ano livre de aftosa com vacinação

Agência Brasil

Curitiba – O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou hoje (1º) que o Brasil vai se tornar, ainda neste ano, livre de aftosa com vacinação. Segundo ele, isso já é um grande passo. E o estado do Paraná deverá ser o segundo estado brasileiro a suspender as campanhas de vacinação contra a febre aftosa – o primeiro foi Santa Catarina.

"A condição de ser livre sem vacinação se deve a uma longa caminhada de preparação sanitária e também ao fato de o estado estar há 15 anos sem registro de focos da doença”, observou o ministro. Os focos de febre aftosa ocorridos no estado em 2005 teriam sido provenientes de vírus de Mato Grosso do Sul, estado com o qual o Paraná faz divisa.

Stephanes destacou que os trabalhos de vacinação e os cuidados com a fronteira têm sido “excelentes”, principalmente no que diz respeito ao Paraguai. Ele disse, porém, que, nas regiões de fronteira, a situação sempre é mais complicada. As áreas de fronteira de Mato Grosso do Sul e do Rio Grande do Sul obedecem a normas específicas da Organização Internacional de Saúde Animal (OIE). A vacinação nesses locais deve sempre ser assistida pelo estado e em condições reforçadas, advertiu Stephanes.

O secretário de Agricultura do Paraná, Valter Bianchini, apontou ainda entre os fatores que contribuíram para esse resultado a construção de uma aliança com o setor privado nos últimos anos, que resultou na criação do Fundo de Desenvolvimento da Agropecuária e, posteriormente, na criação do Conselho Estadual da Sanidade Agropecuária (Conesa). Hoje, o Conesa votou por unanimidade a aprovação do documento que o secretário entregou ao ministro pedindo a suspensão das campanhas de vacinação.

Bianchini lembrou que, com a parceria com o governo federal, foi possível investir mais de R$ 17 milhões na modernização da infraestrutura das unidades locais de sanidade animal e vegetal e também nos postos de fiscalização nas divisas interestaduais.

Stephanes alertou que, apesar de as possibilidades do Paraná serem muito boas, o estado tem que aguardar o resultado de uma auditoria prevista para os próximos dias, obedecendo a normas nacionais e internacionais de condutas sanitárias e exigências de países consumidores. “São poucos os que exigem que o país seja livre da aftosa sem vacinação”, adiantou o ministro. O resultado dessa auditoria pode ser divulgado até o final deste ano, mas, para Stephanes, o prazo não é importante, o que vale é que isso aconteça. “Talvez tenhamos que fazer mais uma ou duas vacinações para depois tornar o estado livre”, admitiu.

Se o pedido for aceito, a suspensão das campanhas de vacinação será válida a partir de junho deste ano, informou o secretário. A campanha prevista para o mês de maio será realizada, mas somente para os animais jovens até os 24 meses de idade.
.
De acordo com Bianchini, a expectativa é que o mercado internacional passe a valorizar a carne bovina do Paraná, principalmente nessa época em que importantes países consumidores, como a Rússia e os integrantes da União Europeia, começam a programar as compras de carne para 2011. No ano passado, o Paraná exportou o equivalente a US$ 4,2 bilhões em carne bovina, US$ 1,22 bilhão em carne suína e US$ 5,3 bilhões em carne de frango.

Os produtores paranaenses deixarão de gastar cerca de R$ 30 milhões por ano com a compra de vacinas , que passarão a ser proibidas no estado.

Título Home:
Brasil deve se tornar ainda este ano livre de aftosa

Sutiã Home:
O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou que o Paraná deve ser o segundo estado a suspender as campanhas de vacinação contra a febre aftosa

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 23 de Junho de 2017
Quinta, 22 de Junho de 2017
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)