Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/06/2012 14:06

Brasiguaios querem que o Brasil reconheça o novo governo

Renata Giraldi, Agência Brasil

Assunção (Paraguai) – Os representantes dos cerca de 6 mil brasiguaios (agricultores e produtores rurais brasileiros que moram no Paraguai) vão apelar às autoridades do Brasil para que aceitem o governo do novo presidente paraguaio, Federico Franco. Inicialmente, os brasiguaios pedirão ao cônsul brasileiro em Ciudad del Este, embaixador Flávio Roberto Bonzanini, que encaminhe o pedido de reconhecimento de Franco à presidenta Dilma Rousseff.

Depois, amanhã (25), um grupo pretende vir a Assunção para ratificar o apelo na Embaixada do Brasil. A ideia dos brasiguaios é mostrar ao governo Dilma que Franco sinalizou que seguirá a determinação da Justiça, permitindo que eles permaneçam em suas terras, e tenham segurança para continuar trabalhando. Os brasiguaios criticam a gestão do ex-presidente Fernando Lugo, acusando-o de falta de apoio.

“Estamos muito preocupados com a posição do Brasil em relação ao novo governo. O presidente Franco disse que vai seguir a lei e garantir a segurança necessária aos cidadãos de origem brasileira que vivem no Paraguai”, disse o presidente da Coordenadoria Agrícola do Paraguai, Héctor Cristalda, que é paraguaio.

Ontem (23) o governo do Brasil emitiu nota levantando dúvidas sobre a legitimidade do processo de impeachment de Lugo. Para o Brasil, o processo dá margem à ruptura da ordem democrática. Em protesto, o embaixador do Brasil no Paraguai, Eduardo Santos, foi chamado a Brasília para prestar esclarecimentos.

Héctor Cristalda disse que o sindicato que preside tem vários integrantes e sócios de origem brasileira. Segundo ele, os brasileiros proprietários de terras no Paraguai sofreram perseguição nos últimos anos e ficaram impedidos de trabalhar. O produtor rural acrescentou ainda que há um receio no campo sobre o aumento da violência, daí o discurso em defesa da paz das autoridades paraguaias e religiosas.

“Há um cenário de violência. Os carperos [sem-terra paraguaios] estão armados e não aceitam como legítimos os locais onde estão os brasileiros. A tensão é imensa”, disse Cristalda. “Queremos dizer que basta de perseguição e que temos de reagir. É preciso cumprir a lei e dar segurança para quem quer trabalhar”, completou.

Os brasiguaios, que vivem na sua maioria da região de fronteira do Brasil com o Paraguai, queixam-se da falta de apoio das autoridades paraguaias. Há entre os brasiguaios grandes, médios e pequenos produtores rurais. Ttodos reclamam das tensões no campo. Eles relatam que são ameaçados por carperos e sofrem discriminação porque não são considerados paraguaios.

Muitos brasiguaios estão no país há mais de duas décadas, casaram com paraguaias e tiveram filhos, que nasceram no território paraguaio. No país, segundo dados recentes, há cerca de 110 mil brasileiros e descendentes. Nem todos estão no campo.

O novo presidente Federico Franco chamou os brasiguaios de “cidadãos paraguaios” e o ministro das Relações Exteriores do Paraguai, José Félix Fernández Estigarribia, também prometeu dar atenção ao tema. No entanto, ele lembrou que a questão agrária no Paraguai é delicada.


Edição: Juliana Andrade

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Sábado, 19 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)