Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/07/2006 12:02

Bolívia assume negócios da Petrobras sem contrato

Douglas Corrêa/ABr

A nacionalização das reservas de petróleo e gás da Bolívia, definida pela Lei de Hidrocarbonetos, começa a valer na prática a partir de hoje (1). Os negócios de distribuição atacadista e importações de derivados de petróleo da Petrobras, portanto, ficam sob responsabilidade exclusiva da YPFB, empresa boliviana que vai centralizar o setor no país. Contudo, o contrato de compra e venda de produos, previsto na Lei de Hidrocarbonetos, não ficou pronto por falta de acordo entre os dois países.

Em nota oficial, a Petrobras diz que até o momento não se chegou a um acordo final sobre o contrato. Ainda assim, a Superintendência de Hidrocarburos da Bolívia determinou através de uma resolução que a Petrobras entregue toda a produção à YPFB a partir hoje. O negócio atacadista, que será controlado pela Bolívia, compreende a distribuição de gasolina Premium, gasolina comum e óleo diesel em todo o território.

A Petrobras manifesta sua "disposição" em firmar o contrato assim que forem definidos aspectos essenciais da operação, tais como a forma de pagamento, garantias creditícias, e o ressarcimento do custo de transporte. Neste sentido, a Petrobras entende que a Superintendência de Hidrocarburos "honrará o compromisso" assumido verbalmente de atender ao pleito reiterado pela Companhia ao longo de dois anos, relativo ao ajuste da margem que compensa o custo do transporte dos produtos desde a refinaria até as bases de distribuição.

O Ministério de Hidrocarbonetos e Energia da Bolívia manifestou ontem (30) a disposição em rever a referida margem, formalmente, sob condição de que esse compromisso seja também assinado por autoridades do Brasil. A Petrobras encaminhará esse pleito a Brasília, mas não pode comprometer-se com a anuência do governo brasileiro em ser co-signatário de um ato de gestão do governo boliviano. A assinatura do contrato com a YPFB depende, portanto, do resultado desse encaminhamento.

A estatal brasileira informa ainda no comunicado que "dado o caráter essencial do abastecimento de combustíveis para o país, e considerando que a YPFB ainda não tem condições de assumir tal operação, a Petrobras vem a público informar que, enquanto transcorrem as negociações, manterá a operação do sistema de transporte dos produtos". A Petrobras esclarece ainda que o negócio de distribuição não inclui as estações de serviço e, portanto, poderá optar por manter sua marca em estações de serviço da Bolívia.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)