Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

08/03/2009 14:14

BC vai ensinar identificação de dinheiro falso

Alana Gandra , ABr

Rio de Janeiro - O Banco Central (BC) pretende disponibilizar este ano material educativo na internet para que a população aprenda a identificar cédulas falsas. Segundo o chefe do Departamento do Meio Circulante do BC, João Sidney de Figueiredo Filho, será “uma auto-instrução”, mas ainda não foi fixada a data para implementação da medida.

João Sidney disse que a falsificação de dinheiro tem caído no Brasil. No ano passado, foram apreendidas 560 mil cédulas falsas e, no ano anterior, 670 mil. Para ele, o número não é significativo em relação aos 4 bilhões de cédulas em circulação no país. "As falsificações, em geral, são tão grosseiras que, se a pessoa tivesse o cuidado de pelo menos verificar a marca d’água, o relevo ou o tipo de papel, evitaria recebê-las.”

Cerca de 90% das notas falsas são de R$ 10, R$ 50 e R$ 100, mas a “campe㔠é a de R$ 50, informou João Sidney. O maior volume de fraudes é registrado na cidade de São Paulo, que tem o maior contingente populacional no país e, conseqüentemente, a maior circulação de dinheiro. O estado onde menos ocorrem falsificações é o Acre, pelo motivo oposto – população menor e menos dinheiro em circulação.

O Banco Central realiza anualmente uma campanha para ensinar a população a reconhecer cédulas fraudadas. Cartazes e folhetos são distribuídos com o objetivo de auxiliar na identificação de cédulas falsas. O BC dá também treinamento em empresas sobre o assunto.

João Sidney disse que o Banco Central não tem previsão de fabricar novas famílias de cédulas ou moedas para acrescentar elementos de segurança.

Sobre a falta de troco no comércio, com o sumiço de moedas, principalmente as de R$ 0,01, ele ressaltou que, desde o lançamento do real, em 1994, estão em circulação 3,2 bilhões de moedas de desse valor. “Observamos que as pessoas realmente desprezam o centavo.” Por isso, o BC tem buscado estimular a retirada dessas moedinhas que estão perdidas, disse ele. "Onde estão 3,2 bilhões de moedas? Isso corresponde a 20% de todas as moedas em circulação”, questionou João Sidney, informando que circulam atualmente no país 14 bilhões de moedas.

João Sidney disse, porém, que, quando a pessoa insiste, a moeda de R$ 0,01 aparece. “É difícil compreender que haja falta de troco”, afirmou. Segundo ele, o custo de uma dessas moedas hoje varia entre R$ 0,12 e R$ 0,13.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)