Cassilândia, Segunda-feira, 17 de Junho de 2019

Últimas Notícias

15/04/2015 10:52

Azambuja e Puccinelli se encontram pela 1ª vez após troca de acusações

Campo Grande News

Nem só de festa foi o clima da recepção ao governador do Rio Grande do Sul, Ivo Sartori, na noite de hoje (14), no Centro Tropeiros da Querência. Um clima de constrangimento também pairou sobre o ar com a chegada do ex-governador André Puccinelli e protagonizar o primeiro encontro com Reinaldo Azambuja depois de o atual Chefe do Executivo tornar pública a herança de uma dívida de R$ 450 milhões de seu antecessor.

Ambos trocaram cumprimentos discretos e o governador preferiu não comentar mais sobre o assunto à imprensa. No entanto Puccinelli, mesmo que rapidamente, preferiu não deixar passar a oportunidade de se defender. “Hoje caiu por terra tudo isso aí (que foi dito sobre o déficit que ele teria deixado no caixa do governo) depois que o Mocchi (deputado estadual) fez o balanço lá na Assembleia Legislativa e mostrou os números. Eu sou suspeito pra falar, mas basta vocês pegarem os documentos, fazerem um balanço e verem os números”, disse.

Mocchi – O discurso a que o ex-governador se referiu foi proferido pelo deputado Junior Mocchi (PMDB), líder do governo na Casa na gestão Puccinelli, na manhã de hoje na Assembleia Legislativa. O parlamentar defendeu que o valor que estava disponível no caixa do Estado, no dia 1° de janeiro de 2015, quando a auditoria apontou a quantia de R$ 301. 753.499,68, na verdade se tratava de R$ 571 milhões, que foram publicados no dia 1° de abril, no balanço anual referente a 2014.

“Acontece que a auditoria fez o levantamento fechando no dia 31 de dezembro, mas existe o valor de receita de competência que caiu nas duas primeiras semanas de janeiro, chegando a esta nova cifra”, explicou o peemedebista.

Ele também analisou a questão dos empréstimos consignados que, de acordo com o PMDB, não se trata de uma dívida de R$ 143 milhões deixada pela antiga gestão e sim apenas um procedimento padrão de todos os estados, que fazem este pagamento a partir do dia 20 de janeiro.

Mochi garantiu que assim como o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou que era a última vez que “olhava para trás”, o PMDB pretende fazer o mesmo e a partir de agora seguir em frente. “Já explicamos esta situação, agora é olhar para frente e ajudar no que for possível para desenvolver cada vez mais o Estado”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 17 de Junho de 2019
09:00
Santo do Dia
Domingo, 16 de Junho de 2019
13:00
Copa América
09:00
Santo do Dia
Sábado, 15 de Junho de 2019
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)