Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/05/2015 15:40

Azambuja considera radical decisão de greve e quer suspender lei de Puccinelli

Midiamax

'É radical' a decisão pela greve, por parte dos professores da rede estadual, afirma o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB). Os profissionais rejeitaram a proposta do governo de reajuste, que seria concedido em outubro, de 4,97%, e decidiram paralisar as atividades a partir de quarta-feira (27). O governador afirmou que vai entrar na justiça para tentar suspender a lei aprovada em 2013 pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) que previa aumento de 25,42% para os professores em quatro anos.

“Infelizmente eles estão radicalizando”, disse Azambuja. Ele lembrou a crise pela qual o País passa, bem como a retração da economia, além de corte de R$ 70 bilhões de recursos da União, que deve ser anunciado pela presidente da República, Dilma Roussef (PT). “A realidade da União não é diferente. Houve perda de receita e aumento de despesa”, pontua.

Os profissionais da educação se reuniram em assembleias nos 73 municípios filiados à Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), na quinta-feira (21) ) e nesta sexta-feira (22) aconteceu a assembleia-geral da categoria. A maioria dos municípios deve aderir a greve, afirma o presidente da Fetems, Roberto Botareli.

Azambuja ainda reiterou que o Estado tem o terceiro maior piso do País, atrás do Amapá e Distrito Federal, cujos recursos da educação são bancados pela União. O governador disse também intenção de acionar a Justiça para revogação da lei, considerada por ele, ‘arbitrária e inconstitucional’, aprovada pelo ex-governador do Estado, André Puccinelli, que parcela em quatro vezes o cumprimento do piso para alcançar o nacional até 2018. A proposta do atual governo era pagar até 2022.

A negociação deve continuar, segundo o governador, que afirma manter diálogo para trazer os professores de volta à sala de aula. “O diálogo não vai se esgostar”. No entanto, os profissionais afirmam não abrir mão do reajuste de 10,98%.

Com a greve aprovada, professores paralisam atividades na quarta-feira. A rede estadual conta com 270 mil alunos em 362 escolas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)