Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/03/2010 09:27

Avó de bebê morto diz que já tinha procurado Conselho

Campo Grande Newsq Fernanda Mathias

Sheila Toledo, mãe da adolescente de 15 anos que ajudou a matar o próprio filho, em Corumbá e avó do menino, Marcos Antônio Toledo de Almeida, de um ano e um mês, disse ontem que já havia procurado o Conselho Tutelar porque pretendia ter a guarda da criança.

Segundo ela, o menino era maltratado, mas a adolescente se negava a dar a criança para ela. “O ano passado, procurei o Conselho Tutelar para pedir a guarda para mim. Eu ficava com ele a maior parte do tempo e era eu quem o cuidava. Ela não queria cuidar, mas também não queria me dar. Ela falava alto com a criança, se irritava facilmente. Não suportava ver o modo como ela tratava o Marcos. Dava dó, porque ele era muito carinhoso com ela. Já ela, parece que se sentia incomodada com a presença dele”, disse, em entrevista ao Diário de Corumbá online, concedida durante o velório do menino.

A avó afirma que os conselheiros disseram que não poderiam tirar a guarda, porque a adolescente era a mãe e teria que cuidar do bebê. “O problema era que ela não queria cuidar e sentia ciúmes do pouco carinho que eu dava ao meu neto”, afirmou.

Marcos Antônio foi morto com oito golpes de facada, dois deles com participação da própria mãe e os outros seis desferidos pelo namorado da garota, Claudinei da Silva Cruz, de 19 anos. Os dois teriam planejado o crime semanas antes, com intenção de se livrar da criança e fugir para o Rio de Janeiro.

A primeira versão, sustentada pela jovem, era de que o namorado teria feito tudo sozinho, por ciúmes, depois ela confessou participação e disse que ajudou a segurar a criança.

Sheila contou que desconfiava de que a filha mentia sobre a autoria do homicídio. “Na noite do assassinato, os policiais bateram em minha porta por volta da meia-noite, e acompanhada de um policial minha filha sentou ao meu lado na cama e acusou o Claudinei de ter matado o bebê. Mas eu desconfiei, porque ela não chorava, nem olhava em meus olhos, ela não me encarou um minuto. Meu coração sabia que ela estava mentindo, mas como eu a acusaria? Sou mãe e não consegui fazer isso”, contou, emocionada.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)