Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/04/2013 13:35

Avanço ou impasse?

Rosildo Barcellos

O franzino sistema que supedaneava o trabalho doméstico no Brasil acaba de se transformar em um liame forte e robusto, com o advento da PEC das domésticas, fazendo com que o Brasil esteja incluído no grupo do FUAAA. Assim, da mesma forma que França, Uruguai, Alemanha e África do Sul; o nosso país é hoje uma referência internacional no que tange a preconizar diretrizes legais em relação aos trabalhadores considerados” domésticos”. A África do Sul continua a precursora pois antecipou-se,por exemplo, a fixar o tempo de trabalho (são 45 horas semanais). Em outros países como a Tailândia os avanços estão sendo pontuais. Naquela localidade apenas em 2011 foi proibido o trabalho para indivíduos com idade inferior a 15 anos e concedido o pagamento de hora extra,e ainda assim,somente aos domingos.

No Brasil, a partir de sua publicação, que foi quarta feira, próxima passada, segue valendo a jornada de 44 horas semanais limitadas a oito horas diárias e sistematizado o pagamento de horas extras, momento que prevejo a volta do caderninho de anotações para que nem patrão nem empregado se percam nestas contas.Ademais, questões como seguro desemprego, FGTS e adicional noturno, ainda dependerão de normatização posterior.Não podemos pressupor entretanto que pressupor e estabelecer regras para a categoria e acabaram-se os problemas.Há a necessidade de monitoramento e controle, assim como aconteceu com a “lei seca”.Faltava o sustentáculo da proteção social, agora falta a aplicabilidade efetiva, sua divulgação, da melhor e mais simples maneira possível para as pessoas realmente interessadas; e sentir se estas ações não possam fomentar ainda mais a informalidade.

Urge ressaltar que neste campo de trabalho estão as pessoas, ou ainda para ser mais específico:estão as mães que se destituíram de qualquer orgulho para que o suor de seu rosto se transformasse em estudo e alimento para os filhos e até netos. São pessoas que sem nenhuma outra alternativa de qualificação profissional e que estão no mesmo emprego há anos já pensam no receio de serem despedidas a qualquer momento ,se essas novas regras efetivamente, causarem impacto tanto no orçamento familiar dos empregadores, quanto na burocracia que sempre emperra qualquer avanço neste País. Afinal são 7,2 milhões de brasileiros nesta situação e apenas 2 milhões possuem carteira assinada.Poe estes números fica fácil imaginar os problemas que se seguirão...mas é um meteórico e necessário avanço sem dúvida alguma.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)