Cassilândia, Quinta-feira, 27 de Julho de 2017

Últimas Notícias

02/05/2015 07:16

Ausência de Dilma no rádio e TV marca 1º de maio e 'abastece' opositores

UOL
Ausência de Dilma no rádio e TV marca 1º de maio e 'abastece' opositores

A comemoração do Dia do Trabalho neste ano ficou marcada pela ausência da presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e TV no pronunciamento sobre a data. Pela primeira vez em seu mandato, ela abriu mão do discurso tradicional, optando por se dirigir aos brasileiros por meio de três vídeos nas redes sociais. A opção pela internet acabou "abastecendo" seus opositores, que aproveitaram para criticar duramente a governante.

O último pronunciamento feito por Dilma em cadeia nacional, em 8 de março, desencadeou um panelaço contra ela em várias cidades do país. Pela internet, internautas haviam combinado um novo panelaço para esta noite de sexta, às 20h30 (horário de Brasília).

O presidente do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha, ambos do PMDB, aproveitaram a data para criticar a presidente, direta ou indiretamente. Em vídeo nas redes sociais, Calheiros afirmou que "ajuste que prejudica o trabalhador é desajuste". Em pé de guerra com a presidente Dilma Rousseff, Renan tem buscado protagonismo em várias frentes para descolar a sua imagem do governo.

Já Cunha recomendou cautela à presidente em seus posicionamentos públicos, que tem criticado o projeto de lei regulamenta a terceirização, permitindo a prática também na atividade-fim da empresa. Para ele, Dilma erra ao assumir o discurso do PT e da CUT (Central Única dos Trabalhadores) sobre o tema.

Outro ataque veio do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG). Ele afirmou que este 1º de maio será lembrado como o "dia da vergonha", em que a presidente Dilma "se acovardou".

"A presidente não teve coragem de dizer aos trabalhadores que eles vão pagar o preço mais duro do ajuste", disse Aécio, logo após chegar ao evento da Força Sindical para comemorar o Dia do Trabalho, na capital paulista. Segundo ele, Dilma se esconde daqueles que vêm sustentando o Brasil. "Os trabalhadores não têm nada a celebrar", disse.

Na tentativa de apaziguar o momento difícil pelo qual passa Dilma, no evento de 1º de Maio da CUT (Central Única dos Trabalhadores), também em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu aos trabalhadores presentes para que tenham paciência com a governante.

"Quero pedir a vocês que muitas vezes ficam nervosos com a Dilma, irritados, que temos de ter paciência, como temos de ter com a mãe da gente. Ela foi eleita para governar quatro anos. Temos de ver o resultado final desse governo. Não tenho dúvida que daqui a quatro anos estaremos comemorando o êxito do seu mandato."

"Diálogo com a sociedade" via internet

No primeiro pronunciamento de hoje, Dilma citou duas propostas enviadas recentemente ao Congresso como medidas dirigidas aos trabalhadores: a política de valorização do salário mínimo e a correção da tabela do Imposto de Renda.

No segundo, ao comentar o projeto de terceirização que tramita no Congresso, frisou que a regulamentação do trabalho terceirizado "precisa manter a diferenciação entre atividades-fim e meio nos vários setores produtivos".

No terceiro e último pronunciamento, ela condenou a repressão às manifestações, numa alfinetada ao governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), e pregou o diálogo com a sociedade.

"Temos de nos acostumar a ouvir as vozes das ruas, aos pleitos dos trabalhadores. Temos de reconhecer como legítimas as reivindicações de todos os segmentos sociais de toda a nossa população. Temos de nos acostumar a fazer isso sem violência e sem repressão", afirmou no vídeo de quase dois minutos, o mais longo dos três voltados à celebração do Dia do Trabalho.

Dilma não citou diretamente a repressão da Polícia Militar do Paraná a manifestantes na última quarta-feira (29), mas enfatizou a necessidade de negociação e criticou o uso da força. "Queremos por meio do diálogo construir consensos, evitando a violência e respeitando o direito de opinião e de manifestação".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 27 de Julho de 2017
Quarta, 26 de Julho de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 25 de Julho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)