Cassilândia, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

12/06/2004 10:54

Aumento de trabalho infantil foi de 6% nos últimos anos

Jacqueline Lopes / Campo Grande News

Infância. Período de vida que vai do nascimento à adolescência, extremamente dinâmico e rico, no qual o crescimento se faz em todos os domínios, segundo o dicionário Aurélio. O trabalho nesta fase da vida é proibido pelo ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). Em Mato Grosso do Sul, a prática ilegal dos serviços de crianças e adolescentes apresentou crescimento expressivo em comparação ao ano anterior. Em 2001 eram 13.092 crianças e adolescentes de 7 a 13 anos ocupados e, no ano seguinte, já são 16.359. Um aumento em 6%.
“O aumento deve nos levar a refletir e diagnosticar”, afirma Regina Rupp, auditora fiscal da DRT/MS. A miséria e a falta de renda associada a fatores de ordem cultural acabam influenciando o trabalho precoce. “Muitas famílias defendem o trabalho nessa idade em função da geração de renda, outras acreditam que ao se manterem ocupadas as crianças estarão longe da criminalidade e dos vícios. Como faltam opções de lazer e esporte a ocupação se dá através do trabalho”, completa.
Existem no mundo mais de 200 milhões de crianças de ambos os sexos que trabalham em condições degradantes – sujeitas inclusivamente a diversas formas de escravidão, exploração sexual, trabalhos forçados e servidão.
As informações partem da OIT (Organização Intenacional do Trabalho). O órgão internacional destaca o fato desses jovens serem forçados pela pobreza, o crescimento populacional e a globalização da economia. Na América Latina, são 20 milhões de crianças a trabalhar ilegalmente.
Em MS, os números da Síntese de Indicadores Sociais divulgados este ano também revelam as conseqüências do trabalho na infância: 68,6% das crianças que trabalham estão atrasadas na escola, enquanto as que não trabalham o atraso afeta 45,8%. A freqüência à escola é maior para as crianças de 5 à 17 que não trabalham (91,7%) do que para as que trabalham (80,5%), segundo informações da Ong (Organização Não Governamental) Girassolidária.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)