Cassilândia, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

12/06/2004 10:00

Atividade de perito judicial pode ser regulamentada

Agência Câmara

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público analisa proposta (PL 3419/04) que regulamenta o exercício profissional do perito judicial. O autor do projeto, deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ), lembra que na maioria das ações judiciais há controvérsias entre as partes - "por isso, é necessário pesquisar a verdade para que o juiz possa fazer Justiça".
O juiz não pode realizar esses levantamentos e diligências. Essa é a tarefa do perito judicial. "Esse profissional é o responsável pela formação final do processo com a apresentação de seu laudo pericial documentado", explica o parlamentar.

Requisitos
De acordo com o texto, o perito judicial deverá ter curso superior e estar inscrito na Associação de Peritos do Estado. A ele caberá pesquisar e informar a verdade sobre as questões propostas por meio de laudos e de provas científicas e documentais.
O projeto de Eduardo Paes também regulamenta a atividade de assistente técnico. Esse profissional também deve ter curso superior e estar inscrito na Associação de Peritos do Estado. O perito e o assistente só poderão atuar em processos sobre matérias inerentes à sua formação profissional superior.

Vínculo e remuneração
O exercício da atividade de perito judicial e do assistente técnico requer prévio registro nos tribunais de justiça e não gera vínculos de emprego com a Justiça. O trabalho será realizado por meio de livre designação, em cada processo, do juiz responsável pelo julgamento da ação.
A atividade pericial será remunerada de acordo com o valor estimado pelo perito nomeado e fixado pelo juiz que determinou a realização da perícia.
Eduardo Paes acredita que a regulamentação dessas atividades vai melhorar o nível da perícia além de diminuir o prazo de entrega dos laudos periciais, já que o projeto determina que os peritos cumpram o prazo determinado pelo juiz, sob pena de serem substituídos.

Andamento
A proposição aguarda a designação do deputado que irá elaborar parecer sobre a matéria. Após ser votado na Comissão de Trabalho, o texto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.



Reportagem - Natalia Doederlein
Edição - Regina Céli Assumpção

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 19 de Janeiro de 2017
20:48
Loteria
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Quarta, 18 de Janeiro de 2017
21:49
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)