Cassilândia, Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

05/04/2004 09:43

Associação dos Magistrados questiona contribuição

STF

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) ajuizou Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 3184) no Supremo Tribunal Federal, em que contesta a cobrança de contribuição previdenciária de inativos e pensionistas, instituída pela Emenda Constitucional (EC) nº 41/2003, a reforma da Previdência. A entidade questiona os artigos 1o, na parte que incluiu o parágrafo 18 no artigo 40; 4o, parágrafo único, incisos I e II; e 9o. A AMB contrapõe-se, ainda, ao artigo 5o da Medida Provisória nº 167/2004, nos acréscimos que fez à Lei nº 9.783/99, instituindo a alíquota de 11% sobre proventos de aposentadorias e pensões, tanto para os que estavam recebendo o benefício, como aos que já haviam reunido os requisitos para usufruí-lo, na data de edição da Emenda.

Segundo a AMB, os dispositivos questionados ferem o direito adquirido, o ato jurídico perfeito, o princípio da isonomia e o da proporcionalidade. A entidade ressalta que a Emenda trata os atuais aposentados e pensionistas de forma distinta e mais gravosa em relação aos futuros beneficiários. Os atuais inativos e pensionistas, de acordo com a Associação, serão taxados em tudo o que exceder a 60% do limite previsto para o Regime Geral da Previdência (RGP). Já os inativos e pensionistas que adquirirem o direito ao benefício após a promulgação da Emenda serão taxados apenas no que exceder os 100% do limite previsto para o RGP. “Essa é a razão pela qual viola de forma frontal os princípios da isonomia e da proporcionalidade”, afirma.

“Com a EC nº 41, o regime de previdência dos servidores públicos passou a ser de caráter contributivo e solidário. Ao estabelecer essa solidariedade, pretendeu o legislador ressaltar a responsabilidade dos segurados não apenas pelo custeio dos próprios benefícios, mas também pelo custeio do sistema como um todo”, conclui. Na ação, a AMB pede a concessão de medida cautelar para suspender a eficácia dos dispositivos impugnados, bem como a inconstitucionalidade dos mesmos, no julgamento do mérito. A relatora da ADI é a ministra Ellen Gracie.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 25 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
07:30
Loterias
Sexta, 24 de Fevereiro de 2017
06:26
Loterias
06:23
Loterias
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)