Cassilândia, Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2017

Últimas Notícias

11/04/2011 11:12

Artigo: Promessas soltas ao vento...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Promessas soltas ao vento...



Em todo acontecimento trágico, as autoridades, os políticos e de outras pessoas carimbadas desfilam pelo local prometendo socorro, amparo e providências para diminuir o sofrimento das vítimas. Atitudes simpáticas e humanas, principalmente quando verdadeiras. Nesse momento, o que mais os flagelados querem ajuda, venha de onde vier. Mas aí é que mora o problema: quando a tragédia sai da mídia, os auxiliadores também somem e os atingidos ficam entregues à própria sorte.

Nos últimos dias, a população da região serrana do Rio de Janeiro – fortemente atingida pelas chuvas e deslizamentos – reclama dificuldades para receber o aluguel social prometido pelo governo, falta de assistência na rede pública de saúde, ausência dos prometidos serviços de contenção de encostas e até a falta de desobstrução dos bueiros das ruas tomadas pela lama. O mesmo ocorre no Morro do Bumba, em Niterói, sinistrado há mais de um ano, onde pessoas, desassistidas, acabaram voltando para o que sobrou de suas casas e temem pela repetição dos deslizamentos do antigo “lixão”.

O Brasil, hoje dito desenvolvido, tem uma grande dívida social para com a população. Apesar da grande carga tributária que arrecada e do imenso cabedal de leis que estabelecem direitos e deveres tanto o Estado quanto do cidadão, a maioria dos textos não passa de letra morta, pois não há o seu cumprimento e nem a punição daqueles que, tendo o dever, não executam o determinado pelo legislador.

As reclamações de abandono da população depois que a imprensa vai embora não são restritas apenas ao Rio de Janeiro. Ocorrem também em São Paulo, Bahia, Santa Catarina, Minas Gerais e em todo lugar onde ocorreram tragédias, ocasionadas na maior parte pela omissão estatal. Coisas do passado que hoje têm de ser corrigidas e fiscalizadas para não voltarem a ocorrer.

Para não perderem a credilidade, governadores, prefeitos, ministros e outras lideranças devem medir suas palavras. Só anunciar providências com a certeza de que seus órgãos são capazes de concretizar e, uma vez anunciado, tomar conta para que elas realmente aconteçam. É que os fluminenses flagelados esperam principalmente do governador Sérgio Cabral, nos próximos dias.

Infelizmente, a maioria das cidades brasileiras não são frutos do planejamento. Resultam de aglomerações humanas que foram inchando através da improvisação. Morros e várzeas foram irregularmente ocupados e não houve força ou interesses em regularizá-los através dos tempos. Mas, após uma tragédia, o mínimo que se espera é a adoção de medidas para que ela não se repita, pelo menos no mesmo local. Mas nem isso tem ocorrido.

Temos tecnologia, recursos e necessidades, mas falta vontade política. Um pais que investe em obras milionárias como as preparatórias da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, não pode continuar deixando seu povo morrer na enxurrada e nas encostas de morro. É preciso mais prioridade e responsabilidade...



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br

O Cassilandianews não se responsabiliza por artigos ou opiniões com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Fevereiro de 2017
Domingo, 19 de Fevereiro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 18 de Fevereiro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)