Cassilândia, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

25/03/2009 10:10

Artigo: Os prefeitos e a ditadura tributária

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves*

Os prefeitos e a ditadura tributária

Apenas 40 dias depois que o presidente Lula, engalanado num palanque eleitoral, recebeu festivamente os novos prefeitos em Brasília e, na presença da sua candidata, Dilma Roussef, garantiu-lhes um mandato de boas realizações - vendendo, com toda a propriedade de sua experiência, a falsa idéia de que o tsunami da crise internacional chegará ao Brasil apenas como uma marolinha - os administradores municipais, estão vendo que tudo não passou de um excesso de otimismo presidencial. O segundo repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) do mês de março caiu em 19%, deixando a prefeitura, células mater federação. sem ter com que cumprir seus compromissos.
O "pacote de bondades" que o governo lançou na oportunidade, postergando arrecadação de tributos devidos pelos municípios, de nada adiantará à maioria das prefeituras, todas elas em má situação financeira, mercê do injusto modelo econômico a que são submetidas.
Desde a instalação dos governos militares, as prefeituras sofreram grande esvaziamento na capacidade arrecadadora. A União e os Estados passaram a arrecadar a maioria dos tributos e a devolver cotas-partes para os municípios geradores. A União tem o FPM e o Estado devolve parte do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Esse é o grosso da receita da maioria das prefeituras que, de arrecadação própria tem apenas o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), o ISS (Imposto Sobre Serviços) e outras insignificâncias.
É raro uma prefeitura com capacidade para investir em obras. Elas o fazem através de financiamento ou de convênios com o Estado e a União, conseguidos através da negociação política e até partidária. Esse modelo faz de prefeitos e deputados (que representam regiões nos parlamentos) verdadeiros pedintes a esmolar parte do bolo que, de direito, pertence também às prefeituras, pois foi arrecadado nos municípios. Facilita até a existência de intermediadores que drenam parte do recurso já insuficiente para as necessidades.
Desde a chamada redemocratização, há quase 30 anos, muito se tem falado sobre a reforma tributária. Mas tudo o que se tem visto nesse sentido é puro paliativo. Ninguém, até hoje, desceu ao cerne do problema. Os municípios não podem continuar eternamente submissos ao Estado e à União, onde tem de concorrer politicamente para obter aquilo que lhe é de direito.
A Constituinte tratou de tudo, mas não devolveu ao município a sua capacidade de arrecadar. Pressionados pelo interesse dos Estados e da União, os constituintes se esqueceram de que o povo mora é no Município e que, tendo recursos, o próprio Município é capaz de resolver seus problemas.
Já que os políticos não fazem, a sociedade civil deveria pressionar severamente pela reforma tributária que devolvesse a cada comuna o seu meio auto-administração. Chega de prefeito fazendo o papel de mendigo para conseguir, como esmola do poder central, aquilo que ele próprio poderia arrecadar.

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)
aspomilpm@terra.com.br

Dados do Autor:
Dirceu Cardoso Gonçalves - tenente-PM
RG nº 5301.573-SP
aspomilpm@terra.com.br


As matérias assinadas são de inteira reponsabilidade dos autores

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 18 de Janeiro de 2017
Terça, 17 de Janeiro de 2017
23:53
Loteria
10:00
Receita do dia
Segunda, 16 de Janeiro de 2017
10:04
Coluna da juíza Luciane Buriasco Isquerdo
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)