Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

31/12/2010 07:31

Artigo: Mulher, economista e... guerrilheira

*Dirceu Cardoso Gonçalves

Mulher, economista e... guerrilheira

A economista Dilma Rousseff assume como 36º presidente da República. É a
primeira mulher, a primeira economista e a primeira ex-integrante da luta armada a
assumir o poder. Sucede a Lula, o primeiro operário e retirante nordestino a
governar, que conclui sua jornada com invejável aprovação, superior a 80%. O momento
é positivo, com projeções de crescimento. É necessário, no entanto, investir mais
na segurança pública e distribuir melhor a renda.
Olhar o retrovisor da história nos remete a brindar a regularidade
democrática. Em 120 anos de República, fomos governados por 21 advogados, nove
militares, dois jornalistas, um médico, um engenheiro, um sociólogo e um
metalúrgico. Dois presidentes (marechal Deodoro e Jânio Quadros) renunciaram; três
(Washington Luis, Getúlio Vargas e João Goulart) foram depostos; dois (Rodrigues
Alves e Tancredo Neves) morreram antes da posse; dois (o eleito Julio Prestes, em
1930, e vice Pedro Aleixo, em 1968) foram impedidos de assumir; e um (Fernando
Collor) foi afastado pelo Congresso.
Dos 35 presidentes, só 15 conseguiram terminar o mandato. Houve épocas
em que os governantes eram eleitos sem o voto popular. Assim foi com o Marechal
Deodoro, no governo provisório, logo após a proclamação da República, seu sucessor,
Floriano Peixoto, Getúlio Vargas entre 1930 e 1945, e os presidentes militares
pós-64, que eram referendados pelo Congresso Nacional e Colégio Eleitoral, que teve
sua última reunião em 15 de janeiro de 1985, para eleger Tancredo e Sarney, líderes
da Nova República. Em duas oportunidades – na Revolução 1930 e na doença de Costa e
Silva, em 1969 – o país foi governado por juntas militares.
Em momentos distintos, os vice-presidentes receberam tratamentos
diferentes. Em 1891, Floriano Peixoto assumiu normalmente o lugar de Deodoro da
Fonseca. Em 1909, Nilo Peçanha terminou o mandato do falecido Afonso Penna. Em 1918,
Delfim Moreira assumiu, mas teve de promover eleições para substituir Rodrigues
Alves, morto pela gripe espanhola. No ano de 1954, Café Filho substituiu Getúlio
Vargas após seu suicídio, mas, por razões políticas, foi obrigado a tirar licença de
saúde. Em 1961, o vice João Goulart só conseguiu assumir depois de aceitar a
imposição militar do parlamentarismo, criado às pressas e por ele derrotado no
plebiscito de 1963. Na doença do marechal Costa e Silva, em 1969, o vice civil,
Pedro Aleixo, foi impedido de assumir. Em 1985, Sarney assumiu e governou os cinco
anos em lugar do falecido Tancredo e, em 1992, o vice Itamar Franco cumpriu o
mandato do “impichado” Fernando Collor.
Ocorreram os casos de Carlos Luz, que substituiu a Café Filho e governou
apenas por três dias porque não conseguiu controlar o golpe que setores das forças
armadas queriam dar no eleito Juscelino, mesmo motivo da “doença” do sucessor de
Getúlio. O do jornalista Ranieri Mazilli, então presidente da Câmara dos Deputados,
assumiu a presidência nos momentos críticos da renúncia de Jânio Quadros e na
derrubada de João Goulart, quando havia o risco de guerra civil. Ficou conhecido nas
redações como “o modess”, aquele que por duas vezes ocupou o lugar para evitar o
derramamento de sangue.
Oxalá o Brasil já tenha superado o tempo dos trancos à democracia e que,
doravante, seja, cada dia mais, o líder da América Latina e, principalmente, justo
na distribuição de renda aos seus cidadãos...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist.
Social dos Policiais Militares de São Paulo)
aspomilpm@terra.com.br


Dados do Autor:
*Dirceu Cardoso Gonçalves – tenente-PM
RG nº 5301.573-SP
aspomilpm@terra.com.br




O Cassilandianews não se responsabilza por artigos ou opiniões com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)