Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

30/09/2009 07:27

Artigo: Moralidade para o "feriadão”

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves*

O Brasil concede 17 feriados e pontos facultativos nacionais por ano. Os Estados somam mais 35 feriados em diferentes datas. Cada município pode decretar até quatro. Logo, os brasileiros gozam aproximadamente 25 feriados por ano. Isso, somado a 104 sábados e domingos, faz com que a economia pare de trabalhar a toda carga por cerca de 140 dias a cada ano. Isto é, mais de um terço do tempo.

A Câmara acaba de aprovar o projeto do deputado Milton Monti (PR-SP), que antecipa para a segunda-feira os feriados que caírem durante a semana, exceto 1º de janeiro, Carnaval, Sexta-Feira Santa, Independência e Natal. A pretensão é agrupar o feriado com o fim-de-semana e evitar as “pontes” que se tornaram moda especialmente quando o feriado é na quinta ou na terça-feira e são emendados com o sábado posterior ou o domingo anterior.

A grande verdade é que não deveríamos ter tantos feriados e subterfúgios para deixarmos de trabalhar e produzir. Há feriados que não se justificam e precisariam ser eliminados. Nada contrário às homenagens que encerram a feitos e a pessoas de destaque. Mas essas efemérides ou indivíduos importantes poderiam ser reverenciados num dia de trabalho normal. A homenagem poderia ser até maior e mais significativa, pois estaria consubstanciada no respeito à Nação e no suporte ao desenvolvimento. Não devemos nos esquecer de que cada dia parado é um grande prejuízo ao país e, em última análise, ao próprio povo.

No governo de Fernando Collor já houve a mudança de feriados de meio de semana para a segunda ou a sexta-feira, o que estivesse mais próximo da data oficial de comemoração. Mas, com o “impeachment”, os que o sucederam acabaram com a medida, permitindo a volta das “pontes” ou “emendas” que fazem a farra do feriadão. Agora, o projeto aprovado pelos deputados deverá tramitar pelo Senado e, dependendo de sua aceitação, muito em breve o “feriadão” passará a ser a soma do sábado, domingo e do feriado antecipado para a segunda-feira. Isso evitará os discutíveis pontos facultativos que os administradores públicos dão ao funcionalismo na segunda ou na sexta-feira espremidas entre o fim-de-semana e o feriado.

Dos anos 40 até meados dos 70 do século passado, o Brasil trabalhou no regime de Semana Inglesa. Jornada de oito horas diárias de segunda a sexta-feira, expediente matinal no sábado e descanso pleno no domingo. A mudança do perfil econômico acabou com esse privilégio e hoje se trabalha todos os horários do dia e da noite desde que o empregador possua uma equipe para cada turno e pague os adicionais previstos em lei.

Comerciários, industriários, prestadores de serviços e integrantes de setores essenciais há muito desconhecem aquele velho esquema de trabalho apenas diurno. Isso tem servido para alavancar a economia brasileira, hoje invejada por todo o mundo. É injusto que só um grupo de privilegiados funcionários públicos tenha esse benefício. Em vez do “feriadão”, eles têm o dever de permanecer em seus postos e facilitar a vida dos usuários de seus serviços, principalmente daqueles que, atuando nos setores produtivos, alavancam a economia brasileira.



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves* – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br



Dados do Autor:

Dirceu Cardoso Gonçalves – tenente-PM

RG nº 5301.573-SP

aspomilpm@terra.com.br




O Cassilândianews não se responsabiliza por matérias ou opiniões com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)