Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

31/08/2004 15:11

Artigo: Hipermetropia evolui nos primeiros anos de vida

Agência Notisa

A hipermetropia, dificuldade para enxergar de perto, é um dos problemas oculares mais encontrados em crianças e na população como um todo. Para se ter uma idéia, é estimado que 55% das pessoas apresentem hipermetropia, sendo que seu aumento ocorre nos primeiros anos de vida. Isso é o que mostra um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, que teve como objetivo avaliar a evolução da hipermetropia na infância.

De acordo com artigo publicado na edição de janeiro/fevereiro de 2004 dos Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, alguns autores constataram aumento da hipermetropia nos primeiros anos de vida, outros afirmam que todos são hipermétropes ao nascer e também é observada elevação e diminuição da hipermetropia na primeira infância. Dessa forma, os pesquisadores explicam que “como indivíduos com elevado grau de hipermetropia possuem maior probabilidade de desenvolverem estrabismo, ou seja, ficarem vesgos, e ambliopia — diminuição da acuidade visual —, é fundamental que esse erro refrativo seja identificado de forma mais precisa possível e que se saiba como ele evolui durante o período de desenvolvimento visual”.

O trabalho foi realizado através da análise de 67 prontuários de crianças atendidas nos serviços de Estrabismo dos Hospitais São Geraldo e Infantil São Camilo em Belo Horizonte, Minas Gerais, entre os anos de 1970 e 2001, e que tiveram seu primeiro exame com até, no máximo, três anos de idade. A idade final de acompanhamento das crianças variou de 5 a 10 anos, o que proporcionou um tempo médio de seguimento dos pacientes de cerca de oito anos. O número de consultas variou de três a oito.

Os pesquisadores constataram que a hipermetropia apresenta uma pequena elevação nos primeiros anos de vida: “o aumento da hipermetropia em relação ao primeiro ano se tornou estatisticamente significativo a partir do 3º ano, mantendo-se desta forma até o 8º ano de idade”.

Por isso, eles alertam quanto a uma possível ambliopia ou sintomas de baixa concentração em leituras prolongadas. “O papel da hipermetropia como importante indutor de ambliopia já é bem conhecido. Além disso, como os vícios refrativos têm influência significativa no estrabismo, é importante sua determinação precoce e de maneira acurada. Acredita-se que tal problema visual deva ser corrigido na totalidade, logo que diagnosticado em pacientes”, ressaltam no artigo.

Agência Notisa (jornalismo científico - scientific journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)