Cassilândia, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/10/2012 17:38

Artigo: Debate inócuo

Dante Filho*

Fechadas as urnas, contados os votos e anunciados os vencedores ou perdedores (no primeiro turno), contabiliza-se agora se o julgamento do mensalão teve ou não capacidade de influir na decisão dos eleitores dos municípios brasileiros. Há quem diga que a influência foi quase nula e outros acreditam que o fato ajudou a pautar as escolhas de candidatos durante o processo eleitoral. Seja o que for que tenha realmente acontecido, será difícil saber com precisa. Como se viu, pesquisas de opinião não conseguem captar a alma do povo no ponto exato para se tornar uma referência palpável de análise da realidade.

O que é possível depreender do julgamento do mensalão é de que se trata de um acontecimento que está diariamente permeando o cotidiano da população em função da cobertura da imprensa, explicitando que pessoas poderosas estão no banco dos réus com grandes possibilidades de serem punidas como nunca antes na história do País. Isso, certamente, não é pouca coisa, ainda mais se pensarmos que a cultura da impunidade está profundamente arraigada em nossa cultura. Nesse aspecto, muita coisa muda na cabeça dos eleitores, pois há uma sensação de que as instituições estão funcionando como se deve.

Talvez outra influência do julgamento do STF tenha ocorrido no plano dos financiamentos das campanhas. Com certeza, tendo o mensalão como espécie de ameaça permanente a rondar os fluxos (legais e ilegais) de caixa, muitos “financiadores” e “financiados” tomaram cuidados redobrados para não deixar pontas soltas, a não ser num caso ou outro, como a história esquisita da campanha do PT num município do Pará, em que se encontrou mais de R$ 1 milhão numa bolsa dentro de um avião.

Aqueles que tentam minimizar a influência do mensalão em contendas eleitorais (como no caso de São Paulo) estão pensando nos efeitos de curto prazo. Só que o buraco é mais embaixo. Todo o processo sedimentará um jeito novo de pensar a política no Brasil. Certamente, muito do modelo antigo permanecerá, pois nossa tradição autoritária dificilmente leva a rupturas surpreendentes. Mas pouco a pouco novos padrões de pensamento vão se impor e haverá grandes probabilidades que as eleições de 2014 sejam configuradas por uma agenda completamente diferente da dos dias que correm.

Acredito que, por esses e outros motivos, debater temas como esse com uma visão imediatista seria não só precipitado como imprudente porque os elementos históricos do jogo ainda estão sendo jogados. Podemos arriscar palpites conforme nossas preferências pessoais, mas ainda é prematuro dizer categoricamente se o julgamento do mensalão deve ser ou não elemento de influência no atual processo eleitoral.

Como se sabe, o julgamento da sociedade sobre fatos políticos é um edifício em permanente construção. Acredito que uma frase mal posta afirmando que o povo “não está preocupado com isso” tem tudo para provocar reações negativas da opinião pública, levando-a a fazer considerações mais afirmativas sobre o assunto. Algo que ontem não influiu, amanhã poderá perfeitamente transformar-se em referência de decisão de voto.

Deu para perceber nesta eleição que grandes contingentes populacionais mudam de opinião com uma rapidez surpreendente. Talvez seja essa a essência daquilo que os teóricos costumam chamar de “sociedade de comunicação”. Não há nada fixo. Tudo se move com extrema rapidez. Os levantamentos dos institutos de pesquisa não estão conseguindo, neste ambiente, acompanhar o dinamismo das mudanças. E assim será cada vez mais daqui pra frente.

Jornalista (dantefilho@terra.com.br)






O Cassilândianews não se responsabiliza por artigos ou opiniões com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
11:00
Mundo Fitness
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)