Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/03/2009 18:36

Artigo: De quem depende o crescimento produtivo?

Alexandre Fonseca Prado

Ao longo dos anos, expressões como “desenvolvimento”, “crescimento” e “competitividade” sempre estiveram presentes no dia-a-dia dos grandes jornais, políticos e população em geral. Quando do início da chamada globalização, especulava-se, há algum tempo, o grau de desenvolvimento a que países nela inseridos poderiam alcançar. Depois de mais de uma década, o discurso ainda é o mesmo, sem que no entanto sejam levadas em consideração o crescimento de uma sociedade e sua relação com a força produtiva estabelecida nela.
Karl Marx escreveu, na obra A Miséria da filosofia (1847): “As relações sociais são inteiramente interligadas às forças produtivas. Adquirindo novas forças produtivas, os homens modificam o seu modo de produção, a maneira de ganhar a vida, modificam todas as relações sociais. Quando Marx fez esta observação, a Europa passava por transformações que, mais tarde, influenciariam todo o mundo: o modo de produção passaria do manufatureiro para o industrial, ou seja, a produção artesanal, para consumo próprio e vendas escassas seria substituído pelo modo de produção industrial, em larga escala buscando uma nova plataforma de vendas e comércio.
Quando Marx cita a necessidade de se buscar uma sociedade interligada às forças produtivas, o filósofo alemão quer dizer que as sociedades têm de se organizar e buscar gerar a sua independência produtiva, uma independência que gere a distribuição do que é produzido e dos ganhos advindos desta atividade para que haja de fato uma transformação. Transformações nos campos social, econômico, político, ambiental e outros geram uma sociedade reforçada em sua identidade e características próprias.
Pois o que estamos observando em Cassilândia é justamente a antítese do que pregou Marx. Ao invés de uma organização em torno dos interesses da cidade, o que estamos observando é uma confluência de virtuosismos que só vem a atrapalhar o processo de crescimento da sociedade Cassilândia. Quando Marx prega o termo “forças produtivas” ele se refere ao que é e pode ser produzido pelo trabalho das pessoas e dos governantes. A sociedade atual é composta de Executivo, Legislativo e Judiciário. Quando os poderes não se entendem, quando criam motivos para se desentender, quem perde é a população que deles depende.
Para aumentar nossas forças produtivas precisamos trazer indústrias para nossa cidade, de forma que gerem emprego e renda e fortaleçam o comércio local. O que ocorre é que empresa alguma se instala em uma cidade cuja instabilidade entre os poderes é visível a todos. Qual a garantia que podemos dar a estes empreendedores de que tudo aquilo que oferecemos será de fato respeitado, se sequer podemos ofertar-lhes a estabilidade da cidade? São questões que devem ser refletidas quando se iniciam crises de denuncismo, por exemplo.
Mais do que nunca, o que Marx defendeu há cento e sessenta e dois anos ainda pode ser tirado como lição importante, sendo que somente a união entre executivo e legislativo é que pode mudar a realidade de Cassilândia. E essa união depende, apenas, de um entendimento de que as questões da população estão, sempre, acima das questões partidárias e políticas.






Os artigos assinados são de responsabilidade dos respectivos autores.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)