Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

08/04/2011 11:03

Artigo: As necessidades da nova sociedade

Dirceu Cardoso Gonçalves – tenente-PM

As necessidades da nova sociedade



O massacre do Rio de Janeiro, ao mesmo tempo em que nos entristece, é um alerta para as necessidades dos novos tempos, globalizados. Foi-se a época em que podíamos andar tranquilamente pelas ruas, deixar casa e carro abertos e, mesmo assim, ter a sensação de segurança. Junto com a informação e os benefícios da modernidade vieram também os problemas e, hoje, acontecem no Brasil, coisas que pensávamos ser possíveis só nos países “de primeiro mundo” ou nos fundamentalistas. Tudo o que ocorre lá, atualmente, é possível também cá. Isso exige postura de governos, governantes, sociedade e até do cidadão comum.

A escola, como termômetro da nova sociedade que pegou o país desprevenido, vem dando, há anos, o sinais de inconformidade. O outrora bem pago e respeitado professor, ultimamente, tem sido mal pago, ofendido, agredido e até morto pela sua própria clientela. Os jovens vivem o drama de uma sociedade cada dia mais exigente para a sua inclusão mas, nem sempre, encontra abertas as portas do mercado e o seguir da vida. Como conseqüência, tergiversam, perdem a saúde e acabam cooptados pelo crime e pelo vício e vão engrossar as estatísticas de insucesso social.

Temos hoje o Brasil tecnológico que todo brasileiro sonhou. Somos capazes de produzir desde os mais simples até os mais sofisticados engenhos que o homem inventou. Mas, infelizmente, apesar de todos os esforços de ultimamente, não temos tido a capacidade para distribuir a renda de forma a possibilitar o bem-estar de toda a população. E o pior é que, cada dia menos, temos sabido nos comportar uns com os outros. A vida moderna não nos permite ser solidários nem participativos. Os valores da família, reconhecidamente eficientes, têm sido abandonados quando poderiam ser de grande valia para ajudar a manter o equilíbrio social.

O episódio do Rio chama a atenção para a necessidade de uma vida comunitária ativa. Todos os vizinhos, amigos e até familiares do atirador sabiam de sua introspecção, hábitos estranhos e dificuldades de relacionamento. Mas, poucos, certamente, ousaram tentar fazer algo para ajudá-lo. Ele transformou-se numa bomba que eliminou mais de uma dezena de vidas (inclusive a própria) e levou pânico e sofrimento à comunidade e ao país. É o caso de perguntar: quantas outras bombas lactentes existem pela aí? Você conhece alguma? Já tentou alguma forma de desarmá-la?

Quem ainda não sabia, ficou sabendo, da pior forma, que já somos um país desenvolvido. Já temos nossos “serial killers” e outros problemas até então exclusivos das áreas mais desenvolvidas do planeta. Agora é preciso cuidar desses e outros problemas que chegaram sem bater à porta. Mas só dinheiro ou ação de governo não bastam. Além do empenho e do aporte de recursos de governos e empresas, há a necessidade do empenho pessoal de cada brasileiro, na medida de suas possibilidades. Sem essa cota-parte de trabalho pessoal será muito difícil enfrentar o caos...



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br



O Cassilandianews não se responsabiliza por artigos ou opiniões com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)